ALBERTO FELIPE HADDAD FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: HADDAD, Alberto
Nome Completo: ALBERTO FELIPE HADDAD FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
HADDAD, ALBERTO

HADDAD, Alberto

*dep. fed. SP 1991-1995.

Alberto Felipe Haddad Filho nasceu em São Luís no dia 10 de maio de 1956, filho de Alberto Felipe Haddad e de Maria de Nazaré Rego Haddad.

Iniciou o curso de administração na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, em 1976, mas não o concluiu. Em 1978, ingressou no curso de direito da Universidade de Brás Cubas, em Mogi das Cruzes (SP), também sem levá-lo a termo.

Evangélico da Igreja Universal do Reino de Deus, investidor e empresário nos setores de produção e distribuição de álcool, alimentos e transportes, no pleito de outubro de 1990 elegeu-se deputado federal pelo Partido da Reconstrução Nacional (PRN), partido que lançara a candidatura vitoriosa de Fernando Collor de Melo à presidência da República no ano anterior. Em fevereiro de 1991, assumiu o mandato na Câmara dos Deputados.

Na sessão que a Câmara dos Deputados realizou em 29 de setembro de 1992 foi um dos 38 parlamentares que votaram contra a abertura do processo de impeachment de Fernando Collor, muito embora o tenha feito em segunda chamada, quando o processo já estava decidido. O presidente fora acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias. Afastado da presidência logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, sendo efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde o dia 2 de outubro.

Na legislatura de 1991 a 1995, Haddad votou a favor da criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte complementar de recursos destinados à saúde, e pela instituição do Fundo Social de Emergência (FSE), que permitia ao governo gastar até 20% dos recursos vinculados às áreas de saúde e educação. Opôs-se ao fim do voto obrigatório.

Em 1994, já filiado ao Partido Progressista (PP), escapou de um atentado a bomba contra seu escritório político, na Zona Oeste de São Paulo. Em outubro daquele ano, concorreu a um novo mandato de deputado federal, obtendo a terceira suplência. Deixou a Câmara ao término da legislatura, em janeiro de 1995.

Em 2005, pertencia ao conselho da Central Petroquímica Brasileira Ltda.

Casado com Flávia de Azambuja Haddad, teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Folha de S. Paulo (18/9 e 10/2/94); Perfil parlamentar/IstoÉ; Portal da Agência Nacional de Petróleo.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados