ALCIDES AMARAL BARCELOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARCELOS, Amaral
Nome Completo: ALCIDES AMARAL BARCELOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARCELOS, AMARAL

BARCELOS, Amaral

*militar; dep. fed. PR 1952 e 1954.

Alcides Amaral Barcelos nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 11 de janeiro de 1907, filho do capitão-de-mar-e-guerra Luís Bulhões Vieira Barcelos e de Maria Lídia Amaral Barcelos.

Cursou o primário no Colégio Resende, no Rio de Janeiro, prosseguindo seus estudos no Colégio Militar do Rio de Janeiro e no Colégio Militar de Barbacena (MG). Em seguida, ingressou na Escola Militar do Realengo, onde sentou praça em abril de 1926. Declarado aspirante na arma de cavalaria em 1930, em julho do mesmo ano foi promovido a segundo-tenente.

Primeiro-tenente em agosto de 1931 e capitão em maio de 1937, em 1942 fez o curso de moto-mecanização da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e de Estado-Maior. Em setembro de 1945, foi promovido a major por antigüidade.

Filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), concorreu à Câmara dos Deputados em outubro de 1950 pelo Paraná, na legenda da Aliança Pró-Getúlio Vargas, formada pelo PTB e o Partido Social Progressista (PSP). Tendo ficado na suplência, foi promovido a tenente-coronel, por merecimento (julho de 1951), antes de assumir uma cadeira na Câmara em 1952.

Nomeado secretário do Trabalho e Assistência Social do Paraná em abril de 1952, no governo de Bento Munhoz da Rocha (1951-1955), ocupou o cargo até agosto do ano seguinte. Em seguida, retornou à Câmara dos Deputados em 8 de janeiro de 1954, exercendo o mandato até o dia 2 de julho do mesmo ano.

Promovido a coronel por merecimento em dezembro de 1956, em sua carreira militar serviu no quartel-general da 5ª Região Militar, em Curitiba, e comandou o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) do Paraná.

Por ocasião do movimento político-militar de 31 de março de 1964, foi preso acusado de participar de partidos de esquerda. Em junho, com a decretação do Ato Institucional n° 1, teve suspenso seus direitos políticos e em setembro desse ano foi reformado.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CISNEIROS, A. Parlamentares; Dutra, José Carlos – A revolução de 1964 e o movimento militar no Paraná: a visão da caserna. Revista de Sociologia e Política, n°22, Curitiba, junho de 2004; MIN. GUERRA. Almanaque (1944 e 1958); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados