ALFREDO BARREIRA FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARREIRA, Alfredo
Nome Completo: ALFREDO BARREIRA FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARREIRA, ALFREDO

BARREIRA, Alfredo

*dep. fed. CE 1951-1959, 1965 e 1966.

 

Alfredo Barreira Filho nasceu em Cachoeira, hoje Solonópole (CE), no dia 8 de novembro de 1902, filho de Alfredo Lopes Barreira e de Antônia Uchôa Barreira.

Após o curso de humanidades no Liceu Cearense, dedicou-se entre 1923 e 1928 ao comércio no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e nos estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais. De volta ao Ceará, persistiu na mesma atividade até março de 1935, quando foi nomeado superintendente da 3ª Região do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários (IAPC), compreendendo a jurisdição das delegacias do Ceará, Piauí e Maranhão. Em outubro de 1940, com a autonomia adquirida pelas delegacias do Piauí e Maranhão, foi nomeado diretor da seção de Serviços Gerais da delegacia cearense.

Integrante do conselho diretor da Fênix Caixeiral de Fortaleza, nas eleições complementares de janeiro de 1947 candidatou-se a deputado estadual pela legenda da União Democrática Nacional (UDN), obtendo uma suplência. No entanto, assumiu o mandato naquele mesmo ano, em decorrência da convocação de Ademar Fernandes Távora para a chefia da Secretaria de Polícia.

Em outubro de 1950 elegeu-se deputado federal pelo Ceará na legenda da UDN, com a terceira maior votação do partido, assumindo o mandato em fevereiro de 1951. Quatro anos depois foi reconduzido à Câmara pelas Oposições Coligadas — UDN, Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e Partido Republicano (PR).

Em outubro de 1958 tentou reeleger-se, porém não alcançou mais do que uma suplência. Deixou a Câmara dos Deputados ao término do mandato, em janeiro de 1959. Ao longo da legislatura 1959-1963 substituiu em diversas ocasiões o titular Leão Sampaio.

Em outubro de 1962, numa segunda tentativa de voltar à Câmara dos Deputados, desta vez pela Coligação União do Ceará — UDN e Partido Social Democrático (PSD) — ficou de novo entre os suplentes. Ocupou todavia uma cadeira de 23 de junho a 26 de dezembro de 1965, e de 27 de junho a 2 de julho de 1966, período no qual participou também da diretoria do Banco do Estado do Ceará, no governo de Virgílio Távora (1963-1966).

Em conseqüência da extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e da posterior instauração do bipartidarismo filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar vigente no país desde abril de 1964. Foi nesta legenda que se candidatou a deputado federal no pleito de novembro de 1966. Suplente, não chegou a exercer o mandato na legislatura de 1967-1971.

Chefe da Coordenadoria de Patrimônio e Serviços Gerais, da Previdência Social no Ceará, morreu no dia 13 de outubro de 1971.

 

Fontes: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; Cisneiros, A. Parlamentares; Macedo, N. Aspectos; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3, 6 e 8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados