ANTONIO GUACU DINAER PITERI

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PITERI, Guaçu
Nome Completo: ANTONIO GUACU DINAER PITERI

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Piteri, Guaçu

PITERI, Guaçu

* dep. fed. SP 1975-1977.

 

Antônio Guaçu Dinaer Piteri nasceu em Pindorama (SP) no dia 6 de abril de 1935, filho de Domingos Piteri e de Alice Piteri. Seu filho Antônio Cláudio Flores Piteri foi vereador em Osasco.

Engenheiro-agrônomo pela Escola Superior de Agricultura Luís de Queirós, da Universidade de São Paulo (USP), em 1959, concluiu o mestrado em sociologia rural na Cornell University, nos EUA, em 1963.

Funcionário do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária (IBRA), foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA), entidade civil criada em setembro de 1967, no Rio de Janeiro, por profissionais ligados à agricultura e dirigentes sindicais com o objetivo de promover os princípios estabelecidos no Estatuto da Terra.

Prefeito de Osasco (SP), de 1967 a 1970, deixou o Executivo municipal para assumir uma cadeira de deputado estadual sob a legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Na Assembléia Legislativa presidiu a Comissão de Economia, além de liderar a bancada do partido entre 1974 e 1975. Em novembro de 1974, eleito deputado federal por São Paulo, na mesma legenda, deixou a Assembléia em janeiro do ano seguinte, tomando assento na Câmara em fevereiro. Indicado para a vice-liderança do partido um mês depois, integrou a Comissão de Agricultura e Política Rural.

Em setembro de 1976, mais uma vez candidato à prefeitura de Osasco, escapou de um atentado: a bala disparada em sua direção atingiu um poste. Reeleito em novembro, afastou-se da Câmara e assumiu o novo cargo no início de 1977. Com a extinção do  bipartidarismo, em novembro de 1979, filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Graças ao adiamento das eleições municipais por dois anos, em setembro de 1980 teve seu mandato prorrogado até o começo de 1983. Nas eleições de novembro de 1982 candidatou-se à Câmara dos Deputados, obtendo uma suplência.

Saindo do PDT, ingressou no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em 1983 assumiu a diretoria administrativa da Companhia Estadual de Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (CEAGESP), no governo de Franco Montoro (1983-1987). No pleito de novembro de 1986, disputou sem sucesso uma cadeira de deputado federal constituinte. Em maio de 1987 tornou-se superintendente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), no governo de Orestes Quércia (1987-1991).

No pleito de outubro de 1990 candidato a uma cadeira na Câmara, também não obteve sucesso. Deixando a SABESP em 1991, no ano seguinte foi nomeado para a Secretaria de Governo, na gestão de Luís Antônio Fleury Filho (1991-1995).

Em 1994, começou a dar aulas de sociologia aplicada à administração na Fundação Instituto de Ensino para Osasco, chegando a coordenar a Faculdade de Secretariado Executivo. Em 1995, já dando aulas também na Fundação Instituto Tecnológico de  Osasco, assumiu a presidência do diretório municipal do PMDB de Osasco.

Criador de carpas e vice-presidente da Associação Brasileira de Carpas Coloridas, casou-se com Graciela Flores Piteri, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: ABRA; ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1975-1979 e 1991-1995); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (25/11/74, 8/2 e 13/9/76); NÉRI, S. 16; Veja (4/6/86).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados