Jorge Afonso Argello

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARGELLO, Gim
Nome Completo: Jorge Afonso Argello

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ARGELO, Gim

ARGELLO, Gim

*sen. DF 2007-

 

Jorge Afonso Argello nasceu em São Vicente (SP) no dia 5 de abril de 1962.

Criado em Taguatinga, cidade-satélite do Distrito Federal, formou-se em direito pelas Faculdades Integradas do Planalto Central. Empresário, atuou como corretor de imóveis e franqueador dos Correios no Setor Comercial Sul de Brasília.

Iniciou sua militância política em 1983 quando ingressou na Juventude Democrática Social, do Partido Democrático Social (PDS). Em 1985 transferiu-se para o Partido da Frente Liberal (PFL), dissidência do PDS. Nos pleitos de 1990 e 1994 disputou uma vaga na Câmara Distrital do Distrito Federal na legenda do PFL, mas não teve sucesso. Voltou a se candidatar a deputado distrital em outubro de 1998 na legenda do PFL e dessa vez foi eleito. Reeleito no pleito de outubro 2002, aliou-se ao governador Joaquim Roriz, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que em 2003 iniciou seu quarto período no governo do Distrito Federal. Em março de 2005 filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), passando a ocupar a presidência regional da agremiação. Licenciou-se também da Câmara Distrital e tomou posse como secretário do Trabalho de Joaquim Roriz. 

Nas eleições legislativas de outubro de 2006, compôs, na condição de suplente, a chapa para o Senado encabeçada por Roriz, que foi vitoriosa. Em julho de 2007, quando, após várias acusações, Roriz renunciou ao mandato, assumiu sua vaga de senador pelo Distrito Federal. Vice-líder do governo Lula no Senado em 2008, integrou a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito sobre o uso de Cartões Corporativos. Em janeiro de 2009 assumiu a liderança do PTB no Senado.

Integrante da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, foi nomeado, em 2010, relator-geral do Orçamento da União para 2011. Em Dezembro, o jornal “O Estado de São Paulo” publicou uma reportagem na qual denunciava emendas orçamentárias apresentadas pelo senador, que supostamente destinariam recursos para entidades fantasmas. Em defesa, o senador afirmou não ter responsabilidade sobre a fiscalização das entidades, suspendeu as emendas e, em seguida, renunciou ao posto na Comissão de Orçamento.

Na legislatura iniciada em 2011, foi mantido como vice-líder do governo no Senado e, no ano seguinte, tornou-se líder do bloco formado por PTB, PR e PSC,

Em Agosto de 2013, o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) referente a movimentações financeiras realizadas pelo senador, que, de acordo com o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), seriam incondizentes com as rendas declaradas pelo senador e seus familiares.

Casou-se com Márcia Cristina Argello, com quem teve dois  filhos.

 

FONTES: Portal da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Disponível em: <http://www.cl.df.gov.br> . Acesso em 26/12/2013; Portal Folha de S. Paulo. Disponível em: <http://www.folha.uol.com.br>. Acesso em 26/12/2013; Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://g1.globo.com>. Acesso em 26/12/2013; Portal do Senado Federal. Disponível em <http://www.senado.gov.br>. Acesso em 26/12/2013; Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal. Disponível em: <http://www.tre-df.gov.br>. Acesso em 26/12/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.gov.br>. Acesso em 26/12/2013.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados