BARBOSA, CARLOS ALBERTO LEITE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARBOSA, Carlos Alberto Leite
Nome Completo: BARBOSA, CARLOS ALBERTO LEITE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BARBOSA, Carlos Alberto Leite

*diplomata; pres. IBC 1985-1986; emb. Bras. Itália 1987-1991; emb. Bras. França 1991-1997. emb. Bras. OEA 1998-

 

Carlos Alberto Leite Barbosa nasceu em Catalão (GO) no dia 24 de novembro de 1935, filho de Saturnino Leite Barbosa e de Justina Gomes Barbosa.

Bacharel em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro, ingressou no Instituto Rio Branco em 1958, sendo nomeado cônsul de terceira classe em dezembro de 1960. Atuou como oficial-de-gabinete do presidente da República, Jânio Quadros (1961), e, em dezembro de 1963, foi promovido a segundo-secretário. Participou da Reunião dos Chefes de Estados Americanos em Punta del Leste, Uruguai, em 1967, e atuou como assessor na II Conferência da Organização das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento, realizada em Nova Délhi, em 1968.

Promovido a primeiro-secretário em novembro desse último ano, atuou como conselheiro e encarregado de negócios na embaixada brasileira em Madri (1972-1973). Promovido por merecimento a conselheiro em 1973, participou, entre 1974 e 1978, das XVIII,  XIX e XX reuniões da Conferência da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), em Paris, e em Nairóbi (Quênia). Em 1975 foi designado representante do Ministério das Relações Exteriores (MRE) na Comissão Fulbright, instituição vinculada à área de educação e cultura do governo dos Estados Unidos, na Comissão de Assuntos Internacionais do Ministério da Educação e Cultura do Brasil. Promovido a ministro de segunda classe em junho de 1978, representou o MRE no Conselho de Administração do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. No ano seguinte, foi nomeado membro do Conselho da Casa do Brasil, em Londres, e do conselho deliberativo do Instituto Brasileiro do Café (IBC). Em 1980, esteve em Zagreb, Iugoslávia, como representante do MRE na Reunião “Energia e os Países em Desenvolvimento”. Participou também da XXI Conferência geral da Unesco, em Belgrado, Iugoslávia.

Ministro de primeira classe em junho de 1982, assumiu em 1985 a embaixada do Brasil na Colômbia e, em agosto do mesmo ano, foi nomeado presidente do IBC pelo presidente José Sarney (1985-1990) - seu amigo de longa data - em substituição a  Carlos Rischbieter. Ainda na época de sua indicação, o jornal O Estado de São Paulo publicou uma matéria revelando que, através de suas relações políticas em Brasília, Barbosa conseguira empregar sua ex-esposa Maria Luísa Quintanilha Ribeiro e seus dois filhos como funcionários no Senado Federal.    

Ao ser empossado, Leite Barbosa desmentiu rumores sobre uma possível extinção do IBC. Sua gestão, no entanto, foi marcada por denúncias de fraude nas exportações de café. Veiculado pela Rede Globo de Televisão no início de fevereiro de 1986, o caso acabou provocando a demissão dos sete diretores do órgão e sua prematura saída do cargo ainda no mesmo mês. Substituído no IBC pelo economista Paulo Graciano, no ano seguinte foi  nomeado embaixador do Brasil em Roma em substituição a Ramiro Saraiva Guerreiro. Permaneceu à frente do cargo até 1991, sendo sucedido por Orlando Soares Carbonar. No exercício da função, chefiou as delegações brasileiras junto à FAO e à 98ª Sessão do Conselho da instituição. Durante este período, ocupou cumulativamente a embaixada do Brasil em Tirana (Albânia).

 Ainda em 1991, assumiu a embaixada do Brasil em Paris em substituição a João Hermes Pereira de Araújo. Juntamente com Lair Guerra, diretora do Programa Nacional de Combate à Aids, chefiou a delegação brasileira no encontro de chefes de governo e representantes de 42 países, reunidos na capital francesa em dezembro de 1994, para discutir formas de combate à doença. Deixou a embaixada em Paris em setembro de 1997, vindo a suceder, em fevereiro do ano seguinte, o ex-presidente Itamar Franco (1992-1994) no cargo de embaixador do Brasil junto à Organização dos Estados Americanos (OEA). Seu substituto na França foi o embaixador Marcos Azambuja.

Como representante do Brasil na OEA, Leite Barbosa comandou, em maio de 2000, a derrubada da proposta dos Estados Unidos de se declarar como “ilegítimo” o governo do Peru, em virtude das denúncias de fraude envolvendo a reeleição do presidente Alberto Fujimori. Ao defender a posição brasileira, sustentou o princípio da não interferência na soberania dos países do continente. 

 

FONTES: Estado de São Paulo (19/8/85); Folha de São Paulo (1/12/94, 2/8/97, 31/5 e 5/6/2000); Jornal do Brasil (19/8/85 e 14/2/86); MIN. REL. EXT. Anuário; Veja (19/2/86).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados