BARBOSA, RUI DE ALMEIDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARBOSA, Rui de Almeida
Nome Completo: BARBOSA, RUI DE ALMEIDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARBOSA, RUI DE ALMEIDA

BARBOSA, Rui de Almeida

*dep. fed. SP 1967-1975.

 

Rui de Almeida Barbosa nasceu em São Simão (SP) em 31 de dezembro de 1909, filho de Teodoro Viana Barbosa, militar, e de Elvira de Almeida Barbosa.

Estudou humanidades no Colégio Culto à Ciência, em Campinas (SP), bacharelando-se em 1932 pela Faculdade de Direito de São Paulo.

Prestou serviços à Secretaria de Segurança Pública, então denominada Chefia de Polícia, no cargo de delegado de polícia junto à Delegacia de Roubos, no Gabinete de Investigações e em vários municípios do interior, inclusive em Campinas, antes como adido à regional e depois como delegado da cidade, quando solicitou exoneração do cargo. Estabeleceu-se com banca de advogado em Campinas, concomitantemente com o exercício das funções de procurador judicial e, posteriormente, como o primeiro diretor do Departamento Legal dessa cidade, cuja prefeitura exerceu interinamente em 1944. No ano seguinte, especializou-se em perícia criminal pela Escola Técnica de Polícia e completou o curso de economia e finanças da Escola Superior de Comércio Dario Lintz, ambas na capital paulista.

Em outubro de 1950 elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa de São Paulo, na legenda do Partido Trabalhista Nacional (PTN). Iniciou o mandato em fevereiro de 1951, exercendo em 1953 a vice-presidência da casa. Nesse período, viajou à Itália a convite do governo desse país para estudar problemas relativos à imigração. Reeleito em outubro de 1954, dessa vez na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), no ano seguinte tornou-se líder de sua bancada e conquistou a presidência da Assembléia, condição em que organizou e presidiu o I Congresso de Assembléias Legislativas do Brasil. Integrou também as comissões de Constituição e Justiça e de Serviço Civil, como membro efetivo, e as comissões de Redação e de Saúde Pública e Higiene, como suplente. Durante essa legislatura, por indicação de José Carlos de Macedo Soares, ministro das Relações Exteriores (1955-1958), foi ainda delegado junto ao governo boliviano com a incumbência de estimular as relações comerciais entre o Brasil e a Bolívia.

De volta à legenda do PTN, Rui de Almeida Barbosa foi novamente reeleito nos pleitos de outubro de 1958 e de 1962, nesse último ano com apoio da Associação Eleitoral pela Família (Alef), entidade católica conservadora. Em 1964 licenciou-se da Assembléia para mais uma vez exercer interinamente a prefeitura de Campinas. Durante sua permanência na Assembléia paulista, integrou também a comissão que elaborou o novo regimento interno da casa e a reforma constitucional do estado de São Paulo.

Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, em cuja legenda elegeu-se em novembro de 1966 deputado federal por São Paulo, tomando posse em fevereiro de 1967. Nessa legislatura, integrou a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Reeleito em 1970, participou das comissões especiais para a elaboração das leis complementares e da Lei Orgânica dos Municípios. Encerrou seu mandato em janeiro de 1975. No ano seguinte, assumiu o cargo de diretor da Companhia de Gás de São Paulo (Comgás), permanecendo no cargo até 1978. Em 1981 tornou-se secretário de gabinete do prefeito de Campinas, Francisco Amaral, deixando a pasta no ano seguinte, quando aposentou-se.

Rui de Almeida Barbosa foi também professor da cadeira de direito constitucional na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, ministro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e fundador e membro efetivo da Academia Campinense de Letras.

Faleceu em Campinas no dia 4 de novembro de 1993.

Era casado com Iolanda Checcia Barbosa, com quem teve três filhos. Um deles, Rui José Checcia de Almeida Barbosa, foi vereador em Campinas entre 1977 e 1983.

Publicou O suicídio perante a ciência penal e a religião e Ao longo dos meus passos.

 

FONTES: BARBOSA, R. Ao longo dos meus passos; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1967-1971, 1971-1975); Eleitos; Estado de S. Paulo (23/9/62); INF. FAM.; Perfil (1972).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados