CARDEAL, Valter

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARDEAL, Valter
Nome Completo: CARDEAL, Valter

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Valter Cardeal

CARDEAL, Valter

*pres. Eletrobrás 2007-2008.

 

Valter Luís Cardeal de Sousa nasceu em Santo Antônio da Patrulha (RS) no dia 18 de janeiro de 1951, filho de Júlio Cardeal de Sousa e de Maria José Salazar de Sousa.

Em 1971, iniciou carreira no setor de energia elétrica como funcionário da Companhia Estadual de Energia Elétrica (Ceee). Em 1974, durante o curso de graduação em engenharia eletrônica na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), foi nomeado professor da Escola Técnica Estadual Parobé, em Porto Alegre. Formado em engenharia eletrônica em 1977 e em engenharia elétrica pela PUC-RS em 1982, realizou em seguida cursos de pós-graduação em informática na Universidade de São Paulo (USP) e em engenharia da energia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Entre 1983 e 1985, lecionou Eletrotécnica industrial e instalações elétricas na PUC-RS.

Atuou no Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica (Dnaee) a partir de 1980 como membro de diversos grupos de trabalho para o desenvolvimento de estudos tarifários. Foi assistente executivo do diretor-geral Getúlio Lamartine de Paula Fonseca e representante da Ceee em grupos e comitês representativos do setor de energia elétrica, entre 1986 e 1993. Nesse período, trabalhou também como instrutor do curso de Custos Marginais e Tarifação de Energia promovido pela Centrais Elétricas Brasileiras (Eletrobrás), pela Dnaee e concessionárias do setor.

Em 1993, assumiu a diretoria de Distribuição da Ceee, permanecendo no cargo até o final da administração do governador Alceu Colares, no ano seguinte. Em 1998, concluiu o mestrado profissional em engenharia de produção na UFRGS. Voltou a integrar a diretoria da Ceee em janeiro de 1999, no início do mandato do governador Olívio Dutra. Vinculada à Secretaria Estadual de Energia, Minas e Comunicações, chefiada pela economista Dilma Roussef no decorrer de quase toda a administração do governador Olívio Dutra, a empresa fora parcialmente privatizada em 1997. Entretanto, manteve o controle de 15 usinas hidrelétricas, a maioria das instalações da rede básica de transmissão no estado e a concessão de distribuição de energia na capital e em municípios das regiões Sul e Sudeste do estado.

Diretor de Transmissão da Ceee até dezembro de 2002, participou da implementação de programas emergenciais para melhorar a infraestrutura energética do Rio Grande do Sul, reduzir a sobrecarga existente em diversas subestações e evitar o colapso no abastecimento de energia elétrica em várias áreas do estado. Durante sua gestão, a concessionária promoveu a construção e ampliação das subestações de Santo Ângelo, São Borja, Pelotas, Gravataí e Taquara.

 Em janeiro de 2003, no início do governo Luís Inácio Lula da Silva, foi designado diretor de Engenharia da Eletrobrás. Sob sua orientação, a empresa iniciou a implantação do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), realizando a contratação de 3.300 MW provenientes de usinas eólicas, pequenas centrais hidrelétricas (PCH) e empreendimentos à base de biomassa. Iniciada em abril de 2004, a contratação das usinas da primeira fase do Proinfa foi concluída no ano seguinte.

Como diretor da Eletrobrás, também contribuiu para a implementação do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso de Energia Elétrica, conhecido como Luz Para Todos, a continuidade dos estudos relativos ao Complexo Hidrelétrico de Belo Monte, o desenvolvimento do estudo de inventário do rio Teles Pires, coordenado pela holding federal com a participação de Furnas Centrais Elétricas S.A. e da Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte),  a revisão do manual de inventário hidrelétrico de bacias hidrográficas, as negociações para a retomada da construção da Fase C da usina termelétrica Presidente Médici (Candiota III) e de vários empreendimentos de geração e transmissão de empresas do grupo Eletrobrás em parceria com o capital privado.

Em janeiro de 2007, assumiu em caráter interino a presidência da Eletrobrás, em substituição ao engenheiro Aluísio Marcos Vasconcelos Novais, acumulando o cargo de diretor de Engenharia. Comandou a empresa até a nomeação do engenheiro José Antônio Muniz Lopes como presidente efetivo em março de 2008, permanecendo como titular da diretoria de Engenharia.

Casou-se com Margareth Müller Cardeal de Sousa, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CEEE; CEEE. Relatório de gestão – 1999; CEEE. Relatório de gestão 1999-2002; CURRIC. BIOG.; DILMA; ELETROBRÁS. Relatório anual (2003 – 2006); PROINFA.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados