Maria Lúcia Cardoso

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARDOSO, Maria Lucia
Nome Completo: Maria Lúcia Cardoso

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ABI-ACKEL, IBRAHIM

CARDOSO, Maria Lúcia

*dep. fed. MG 1999; 2001-2003; 2004-2006 e 2007- 2011

 

Maria Lúcia Cardoso nasceu em Japaraíba (MG) em 23 de novembro de 1958, filha de Paulo Jacinto de Mendonça e de Sebastiana Alves de Mendonça.

Na juventude, trabalhou como secretária da Companhia Urbanizadora de Contagem (MG) entre 1978 e 1979. Transferindo-se para Brasília (DF), foi assistente parlamentar na Câmara dos Deputados de 1979 a 1982. De volta a Belo Horizonte, graduou-se em letras em 1987 pela Universidade Católica de Minas Gerais, onde também cursou direito. Depois de formada, presidiu o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), em Belo Horizonte.

Sua carreira política esteve associada à de Newton Cardoso, governador de Minas Gerais de 1987 a1991, com que foi casada durante 30 anos. Em 1996 filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Nacional (PMDB) e assumiu a presidência da Comissão Feminina de partido. No ano seguinte, foi presidente de honra do Conselho Municipal da Mulher em Contagem.

Em 1998 participou pela primeira vez de uma disputa eleitoral, candidatando-se à Câmara dos Deputados na legenda do PMDB. Eleita, tomou posse em fevereiro de 1999, mas, três meses depois, licenciou-se do mandato para exercer o cargo de secretária estadual do Trabalho, da Assistência Social, da Criança e Adolescente durante a gestão de Itamar Franco no governo de Minas Gerais, que teve como vice-governador Newton Cardoso. Em 2001 reassumiu o mandato na Câmara dos Deputados. Foi vice-líder do PMDB e participou da Comissão de Constituição e Justiça e de Redação e da Comissão de Finanças e Tributação, da qual foi primeira-vice-presidente. Foi suplente da Comissão de Seguridade Social e Família. 

Candidata à reeleição nas eleições de 2002, obteve uma suplência. Deixou a Câmara em janeiro de 2003 e durante a legislatura 2003-2007, assumiu o mandato por dois períodos: de dezembro de 2004 a fevereiro de 2005, e de abril de 2005 a março de 2006, quando voltou a atuar como vice-líder do PMDB. Nessa legislatura participou como titular da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Em outubro de 2006, concorreu novamente à reeleição na legenda do PMDB em coligação com o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Republicano Brasileiro (PRB) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Eleita com 87.100 votos, tomou posse em fevereiro de 2007. Nesta legislatura,a foi vice-líder do bloco parlamentar formado pelo PMDB, pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), pelo Partido Social Cristão (PSC) e pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). Participou das Comissões: de Constituição e Justiça e Cidadania; de Legislação Participativa; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, Participou também da Comissão Especial do Divórcio, que analisou proposta de emenda constitucional sobre a supressão da separação judicial e implantação do divórcio como única forma jurídica para a anulação de casamentos após um ano de separação de fato ou de direito.

Em 2008 divorciou-se litigiosamente de Newton Cardoso. Um ano depois, foi investigada pela Corregedoria-Geral de Justiça de Minas Gerais por apresentar na Justiça uma certidão de casamento falsa, na tentativa de obter uma parcela maior na divisão dos bens do marido. Ainda nesse mesmo ano, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal a condenou pela falsificação da certidão de casamento.

Nas eleições de 2010 candidatou-se a reeleição, porém, alguns meses depois, desistiu, renunciando à candidatura. No mesmo dia protocolou sua candidatura a deputada estadual, mas com somente 21.855 votos, não foi eleita.

Em sua trajetória empresarial, foi diretora da Siderúrgica Pitangui, em Pitangui (MG). Em contagem, dirigiu a Road Hidrologia e a Associação de Pioneiras de Contagem. Fundou o Centro de Artesanato de Contagem.

De seu casamento com Newton Cardoso, teve quatro filhos.

 

 

FONTES: Portal BHAZ- Belo Horizonte de A à Z. Disponível em <http://www.bhaz.com.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal do jornal Folha de São Paulo. Disponível em: <http://www.folha.uol.com.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal da revista Isto É. Disponível em <http://www.istoe.com.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal da revista Veja. Disponível em: <http://veja.abril.com.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal O Tempo. Disponível em: <http://www.otempo.com.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br>. Acesso em 19/10/2013; Portal UOL / Eleições 2012. Disponível em: <http://eleicoes.uol.com.br>. Acesso em 19/10/2013.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados