CICERO TEIXEIRA DE VASCONCELOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VASCONCELOS, Cícero
Nome Completo: CICERO TEIXEIRA DE VASCONCELOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VASCONCELOS, CÍCERO

VASCONCELOS, Cícero

*religioso; const. 1946; sen. AL 1946-1955.

 

Cícero Teixeira de Vasconcelos nasceu no município de Assembléia, atual Viçosa, no estado de Alagoas, no dia 8 de junho de 1892, filho de Severino Florêncio de Vasconcelos Teixeira e de Antônia dos Santos Vasconcelos. Seu irmão Isidro Teixeira de Vasconcelos foi deputado federal constituinte de 1934 e deputado federal na legislatura 1935-1937. Outro irmão, João Vasconcelos, foi prefeito de Maceió.

Ingressou em 1905 no Seminário Arquidiocesano de Maceió, ordenando-se padre em junho de 1915. Posteriormente fez os cursos de filosofia, teologia e direito canônico no Seminário Maior, também em Maceió, no qual também lecionou filosofia, teologia e direito canônico. Professor de latim e de português no Ginásio de Maceió, o qual fundou e dirigiu, foi também um dos fundadores do Colégio São João, na mesma cidade. Foi capelão da igreja do Bonfim, da igreja do Paço, do Asilo de Mendicidade e do Colégio Santíssimo Sacramento. Em 1932 fundou em Maceió a Escola Doméstica Maria Imaculada, que posteriormente veio a se chamar Escola Nossa Senhora do Amparo. Em 1933 tomou posse de uma cadeira no Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. Em 1942 tornou-se membro do Conselho Administrativo do Estado de Alagoas no governo de Ismar de Góis Monteiro (1941-1945). Foi nomeado pároco de Santa Rita de Cássia (AL) em 1943, tornando-se cônego em 1945 e posteriormente arcediago do cabido metropolitano da capital alagoana. Foi também cônego honorário da diocese de Salvador.

Em dezembro de 1945 elegeu-se senador pelo estado de Alagoas à Assembléia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Assumindo sua cadeira em março de 1946, participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta, exerceu mandato ordinário de senador até janeiro de 1955. No Senado Federal participou da Comissão de Educação.

Em 1955 foi o idealizador e criador do Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Maceió, do qual foi o primeiro diretor.

Em 1965 foi nomeado prelado doméstico por ocasião da sua boda de ouro sacerdotal.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 26 de julho de 1967.

Escrevia diariamente na sua coluna do jornal da diocese O semeador. Publicou A imprensa em Viçosa (1931), Rodrigues de Melo (1946), A história sobre a catedral de Maceió (1962), O bananal dos meus avós (1964), Aqui está Alagoas, Centelha divina e Elogio histórico de d. Antônio Brandão.

Sobre ele foi publicado Um certo monsenhor (1992), de autoria de Antônio Daniel Pimentel Vasconcelos.

 

FONTES: CISNEIROS, A. Parlamentares; Diário do Congresso Nacional; Grande encic. Delta; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; INF. FAM. EMER VASCONCELOS; MACEDO, N. Aspectos; SENADO. Relação; SILVA, G. Constituinte; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; VASCONCELOS, A. Um certo monsenhor.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados