CONFUCIO AIRES MOURA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOURA, Confúcio
Nome Completo: CONFUCIO AIRES MOURA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MOURA, CONFÚCIO

MOURA, Confúcio

*dep. fed. RO 1995-1999, 1999-2003, 2003-2004; gov. RO 2011-2015, 2015-.

Confúcio Aires Moura nasceu em Dianópolis (TO), então estado de Goiás, no dia 16 de maio de 1948, filho de Zeferino de Sena Moura e de Anelides Aires Moura. Seu irmão, Nobel Moura, foi deputado federal por Rondônia de 1991 a 1993.

Ingressou na Polícia Militar do estado de Goiás em 1967. Em 1970 deu aulas e dirigiu o Instituto Dom Abel, tradicional estabelecimento de ensino de Goiânia, e em 1972 tornou-se professor do Centro de Formação e Aperfeiçoamento da PM. Formado em medicina pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em 1975, ainda durante a graduação fez vários cursos de especialização, especialmente na área de obstetrícia.

Transferiu-se para Rondônia em 1976, sendo contratado pelo governo do território como professor do Colégio Ricardo Castanhedo e médico do Hospital e Maternidade São Francisco, ambos em Ariquemes.

Filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 1983, assumindo a presidência do seu diretório municipal e, a partir de 1985, foi delegado do diretório regional.

Nomeado em 1987 para a Secretaria Estadual de Saúde, no governo de Jerônimo Garcia de Santana (1987-1991), do PMDB, permaneceu no cargo até o ano seguinte. Suplente do Conselho Regional de Medicina de Rondônia, em 1989 fez um estágio na Enfermaria de Moléstias Infecciosas do Hospital das Clínicas de São Paulo.

No pleito de novembro de 1989 disputou a prefeitura de Ariquemes, na legenda do PMDB, sendo derrotado por Ernandes Amorim, candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Nesse mesmo ano participou do XV Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, realizado em Florianópolis.

Reconduzido em 1990 à presidência do diretório do PMDB de Ariquemes, no pleito de outubro de 1994 elegeu-se deputado federal por Rondônia, pela legenda do PMDB, tomando posse em fevereiro do ano seguinte. Titular da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e vice-líder do PMDB, nas votações das emendas constitucionais propostas pelo governo Fernando Henrique Cardoso em 1995, votou a favor da quebra do monopólio estatal nos setores de telecomunicações, exploração de petróleo, distribuição de gás canalizado e navegação de cabotagem; da mudança no conceito de empresa nacional; da prorrogação do Fundo Social de Emergência (FSE), rebatizado de Fundo de Estabilização Fiscal (FEF), que permitia ao governo gastar até 20% da arrecadação vinculada às áreas de saúde e de educação.

Em junho de 1996 votou pela criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte suplementar de recursos destinados à saúde. Vice-líder do bloco formado pelo PMDB e o Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Prona), em janeiro/fevereiro de 1997 votou a favor da emenda que previa a reeleição de presidente da República, governadores e prefeitos, e em novembro, pela quebra da estabilidade do servidor público, item da reforma administrativa.

Reeleito em outubro de 1998, sempre pela legenda do PMDB, um mês depois votou a favor do teto de 1.200 reais, para aposentadorias no setor público, e dos critérios de idade mínima e tempo de contribuição, para os trabalhadores no setor privado, itens que definiram a reforma da Previdência. Assumiu o novo mandato em fevereiro de 1999. Nesta legislatura, foi vice-líder do PMDB na Câmara dos Deputados.

No pleito de 2002, reelegeu-se ao cargo de deputado federal, na legenda do mesmo partido, e tomou posse do cargo em fevereiro de 2003. Em 31 de dezembro de 2004, renunciou ao mandato de deputado federal, para assumir o de prefeito de Ariquemes (RO), cargo para o qual fora eleito com 49,8% dos votos válidos, na legenda do PMDB, nas eleições de outubro daquele ano. Assumiu o novo cargo em fevereiro de 2005.

No pleito municipal de 2008 concorreu com êxito à reeleição, permanecendo à frente da prefeitura de Ariquemes até 2010, ano em que deixou o posto para  concorrer ao governo do estado.

Nas eleições gerais de outubro foi o candidato da chapa “Rondônia no Caminho Certo”, que foi encabeçada pelo PMDB e contou com o apoio de outros oito partidos. Líder no primeiro turno com  43, 99% da preferência dos eleitores, disputou a segunda fase do pleito com João Cahulla, que obteve  37, 14% dos votos. Foi eleito, assim, em segundo turno, com 58, 68% dos  votos válida, após enfática campanha pelo desenvolvimento econômico e social do estado, além da promessa de realizar ações que marcaram sua gestão como prefeito, tais quais a  concessão de microcrédito, a expansão de escolas com educação integral e as práticas de internação domiciliar.

Durante seu mandato, iniciado em janeiro de 2011, publicou e buscou dar sequência a um  plano estratégico para o estado, pautado em cinco diretrizes – modernização da gestão pública; inclusão social;  ênfase nos serviços de educação, saúde e segurança; competitividade; e gestão ambiental e territorial  – com o objetivo de tornar Rondônia “uma referência em gestão, sustentabilidade e cidadania plena na região norte”. 

Outros destaques de seu mandato foram o Programa de Aquisição de Alimentos e o Programas Boas Idéias. O primeiro consistiu em uma política de compra de alimentos produzidos por agricultores familiares sem licitação, por valores compatíveis aos praticados nos mercados regionais. Estes alimentos eram destinados à rede de assistência social estadual. 

Foi candidato à reeleição em 2014. Líder em um disputado primeiro turno, no qual  conquistou 35, 86% da preferência dos eleitores, abriu pouco mais de 5 mil votos de vantagem sobre Expedito Junior, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), votado por 35, 42% dos votantes. O peemedebista foi reeleito com 53, 53% dos votos válidos.

Foi, com isso, empossado para novo mandato como governador, iniciado em janeiro de 2015.

Pecuarista, proprietário da fazenda São Francisco, em Ariquemes, Confúcio Moura participou do primeiro conselho comunitário do município e da ordem maçônica Grande Oriente do Brasil, foi fundador e primeiro presidente do Ariquemes Country Club e sócio-aspirante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica.

Casado com Maria Alice Silveira Moura, teve dois filhos.

 

 

FONTES: Almanaque Abril (1989); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Folha de S. Paulo (31/1/95, 14/1/96, 29/9 e 6/11/98); Globo (10/10/98); Jornal do Brasil (12/6/91); Portal do TSE. Resultado da eleição 2004. Disponível em : <http:// www.tse.gov.br/internet/eleicoes/2004/result_blank.htm>. Acesso em : 19 nov. 2009; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1998). Portal de Confucio Moura. Disponível em: <http://blogdoconfucio.com.br/>. Acesso em 22/02/2017; Portal G1: <http://g1.globo.com>. Acesso em 22/02/2017; Portal do Governo do Estado de Rondonia. Disponível em: <http://www.rondonia.ro.gov.br/>.Acesso em 22/02/2017; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em : <http:// www.tse.gov.br>. Acesso em 19/11/2009. 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados