João Correia Lima Sobrinho

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CORREIA, João
Nome Completo: João Correia Lima Sobrinho

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CORREIA, João

CORREIA, João

*dep. fed. AC 2003-2006

 


João Correia Lima Sobrinho nasceu em Cruzeiro do Sul (AC), filho de Adalberto Correio Lima e Oscarina Carvalho Lima.

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, em 1978, cursou também disciplinas de especialização em Planejamento Agrícola (UFPA), entre 1977-1978, e de Desenvolvimento Agrícola na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), de 1983 a 1985. No ano de 1977 trabalhou como economista na Companhia de Desenvolvimento Industrial do Acre, Rio Branco. Já em 1978 foi Técnico em Planejamento da EMATER-AC. Assumiu o cargo de professor concursado na Universidade Federal do Acre (UFAC), também em 1978. Foi coordenador da Comissão Estadual de Planejamento Agrícola (CEPA) entre 1979 e 1983. Atuou também como Pró-Reitor de Extensão na UFAC entre 1988-1990.

Já filiado à legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), foi eleito deputado estadual pelo Acre nas eleições de 1990. Em 1991 se tornou líder da legenda. Foi reeleito deputado estadual nas eleições de 1994 e 1998. Entre 1999 e 2000 foi presidente da Executiva Regional do PMDB.

Com 29.489 votos na legenda do PMDB, João Correia foi eleito deputado federal pelo Acre em 2002 para cumprir a legislatura de 2003-2007, quando assumiu a vice-liderança do partido. No exercício do mandato, foi titular das seguintes Comissões Permanentes: Educação e Cultura (março de 2005 a março de 2006); Finanças e Tributação (2003-2005); Fiscalização Financeira e Controle (de março de 2005 a março de 2006).

Seu nome foi envolvido no escândalo conhecido como Máfia das Sanguessugas (2006) e sobre si pesou a acusação de desvio de 10% dos valores acordados na execução dos contratos com o empresário Luiz Antônio Vedoin na concessão orçamentária de municípios para a compra de ambulâncias. Seu envolvimento se deu mediante denúncia do próprio Vedoin, que, além de João Correia, denunciou outros deputados de diferentes legendas partidárias. João Correia se defendeu declarando que apenas cumpriu a Lei de Diretrizes Orçamentárias, que nunca recebera dinheiro de Vedoin e que a acusação era improcedente, uma vez que a empresa do mesmo fora inabilitada a concorrer. Em outubro, concorreu à reeleição e não foi eleito. Durante o processo no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, João Correia fez greve de fome,foi absolvido no dia 21 de dezembro de 2006.

Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 2007, quando se encerrou a legislatura.

No mesmo ano, foi indiciado pela Polícia Federal por envolvimento com a Máfia das Ambulâncias e denunciado pelo Ministério Público. Dois anos depois,  a Justiça Federal o condenou a dois anos e meio de prisão por sonegação fiscal referente a valores recebidos entre 1996 e 1998, quando era deputado estadual. Conseguiu converter a pena em prestação de serviços e pagamento de multas.

Nas eleições de Outubro de 2010, foi o candidato peemedebista ao Senado pelo Acre. Naquela ocasião, envolveu-se em polêmica ao trocar agressões com um jornalista durante uma entrevista que antecedeu a eleição. Nas urnas, os 117.848 votos recebidos lhe renderam apenas a quarta colocação naquele pleito.

Casou-se e tem dois filhos.

 

FONTES: Portal da Agência Brasil. Disponível em: <http://www.agenciabrasil.gov.br>. Acesso em 19/10/2009; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.gov.br>. Acesso em 18/10/2009; Portal Folha de São Paulo. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso em 18/10/2013; Portal do jornal O Alto Acre. Disponível em: <http://www.oaltoacre.com>. Acesso em 18/10/2013; Portal R7 Notícias. Disponível em: <http://noticias.r7.com>. Acesso em 18/10/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em <http://www.tse.jus.br>. Acesso 18/10/2013.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados