André Luís Costa de Sousa

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COSTA, André
Nome Completo: André Luís Costa de Sousa

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
COSTA, André

COSTA, André

*diplomata; dep. fed. RJ 2004-2007

 

André Luís Costa de Sousa nasceu em Niterói (RJ) no dia 22 de maio de 1968, filho de Romero Albuquerque de Sousa e de Danilza Costa de Sousa.

Bacharelou-se em direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 1991. Em 1994 formou-se em relações internacionais na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e ingressou no curso de formação de diplomatas do Instituto Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores (MRE). Concluiu o curso em 1995 e fez estágio na embaixada do Brasil na Colômbia. Foi coordenador da missão do MRE ao Mali, em Bamaco, e subchefe da Divisão da África do MRE, em Brasília, até 1997, quando assumiu a chefia de gabinete do Escritório de Representação do MRE no Rio de Janeiro. De 1999 a 2002 foi vice-cônsul do Brasil em Barcelona.

Nas eleições de outubro de 2002, concorreu a uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo estado do Rio de Janeiro na legenda do Partido dos Trabalhadores (PT), ao qual se filiara em 1995, e obteve uma suplência. Em 2003 participou da missão da Coordenadoria do MRE a El Salvador, foi coordenador da missão da Presidência da República a Roma e tornou-se cônsul do Brasil em Caiena. Em 2004 foi secretário da embaixada do Brasil em Kiev e vice-presidente da Associação de Diplomatas Brasileiros. Em 22 de dezembro desse mesmo ano, licenciou-se da carreira diplomática e foi empossado na Câmara na vaga aberta com o afastamento de Lindberg Farias, eleito prefeito de Nova Iguaçu (RJ).

Na Câmara, foi primeiro-vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, tendo defendido o cumprimento por parte do governo brasileiro de diversos acordos firmados com países estrangeiros, como a parceria com o governo ucraniano na área de tecnologia espacial. Em 2005 integrou a comissão externa para acompanhar as investigações sobre a chacina da Baixada Fluminense, em que, no dia 31 de março, 30 pessoas foram assassinadas por policiais militares nos municípios de Nova Iguaçu e Queimados (RJ). Em agosto desse mesmo ano, foi o primeiro deputado federal do PT a desvincular-se do partido devido à denúncia do então deputado Roberto Jefferson, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), da existência do “mensalão”, esquema de compra de votos de parlamentares para manifestarem-se a favor de projetos de interesse do governo federal liderado por José Dirceu, então ministro-chefe da Casa Civil. Ainda em 2005, filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Nas eleições de outubro de 2006, disputou novamente uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Rio de Janeiro na legenda do PDT, mas não foi eleito. Encerrou o mandato em 31 de janeiro de 2007 e ainda nesse ano foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por prática de propaganda eleitoral antecipada. Recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que confirmou a decisão do tribunal regional.

Após deixar a Câmara, retomou suas atividades na carreira diplomática, assumindo o Consulado do Brasil na Dinamarca. Em 2008 foi designado segundo- secretário da embaixada do Brasil em Copenhague, na Dinamarca.

Em Agosto de 2009, de volta ao Rio de Janeiro, filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), pelo qual concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições de Outubro do ano seguinte. Não obteve êxito, tendo recebido menos de 3 mil votos.

Retornou ao exercício da diplomacia, servindo ao Ministério das Relações Exteriores. Em 2012, ocupava o cargo de cônsul-adjunto do Brasil em Sydney, Austrália.

Publicou O fracasso da globalização (2004).

 

 

FONTES: ASSOC. DIP. BRAS.; Jornal Folha de S. Paulo (29/08/2005); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.gov.br>. Acesso em 13/09/2009; Portal JusBrasil. Disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br>. Acesso em 20/08/2013; Portal do Ministério das Relações Exteriores. Disponível em: <http://www.mre.gov.br>. Acesso em 13/09/2009; Portal do Partido Democrático Trabalhista. Disponível em: <http://www.pdt.org.br>. Acesso em 13/10/2009; Portal Radar Oficial. Disponível em: <http://www.radaroficial.com.br>. Acesso em 20/08/2013. Portal da Transparência. Disponível em: <http://www.portaldatransparencia.gov.br>. Acesso em 20/08/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br>. Acesso em 20/08/213.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados