DANTAS, ANTONIO FERNANDES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DANTAS, Antônio Fernandes
Nome Completo: DANTAS, ANTONIO FERNANDES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DANTAS, Antônio Fernandes

DANTAS, Antônio Fernandes

* militar; interv. BA 1937-1938; interv. RN 1943-1945.

 

Antônio Fernandes Dantas nasceu em Cai­có (RN) no dia 18 de maio de 1881.

Ingressou na Escola Militar da Praia Ver­melha, no Rio de Janeiro, então Distrito Fe­deral, em fevereiro de 1898. Aspirante-a-ofi­cial da arma de artilharia em março de 1904, passou a segundo-tenente em fevereiro de 1909 e a primeiro-tenente cinco meses depois. Em maio de 1919 foi promovido a capitão, em março de 1924 a major, em março de 1929 a tenente-coronel e dezembro de 1933 a coronel.

No dia 1º. de novembro de 1937, foi no­meado comandante da 6ª. Região Militar, se­diada em Salvador e, simultaneamente, exe­cutor na Bahia do estado de guerra, decretado pelo presidente Getúlio Vargas em 2 de outu­bro para vigorar em todo o país.  Simpatizante do integralismo, logo que chegou à capital baiana enviou telegrama ao governo federal solicitando maiores recursos para reprimir os comunistas.

Decretado o Estado Novo (10/11/1937), assumiu no dia seguinte o cargo de interven­tor federal na Bahia, em caráter interino, subs­tituindo o governador Juraci Magalhães, então em conflito com Vargas.  Além de manter a or­dem pública como interventor, determinou a criação da estância hidromineral de Itaparica, a reorganização do Corpo de Voluntários da Saúde Pública e a extinção da taxa cobrada por saca de café exportado. Deixou o cargo em março de 1938, sendo substituído por Landulfo Alves, e ainda nesse mês foi promo­vido a general-de-brigada.  Em 1941 assumiu a direção de artilharia do Exército.

Em junho de 1943 foi novamente nomea­do interventor federal, dessa vez no Rio Gran­de do Norte, em substituição a Rafael Fernan­des. O estado encontrava-se na ocasião atingi­do por forte seca, com a economia sofrendo as dificuldades impostas pela Segunda Guerra Mundial (1939-1945) aos transportes maríti­mos. Por outro lado, a indústra bélica favore­cia a exploração de minérios, e a presença de uma guarnição militar reforçada com milhares de homens e de efetivos norte-americanos no aeroporto de Parnamirim, perto de Natal, di­namizava o comércio.  Entre os atos de sua administração destacou-se a criação do De­partamento do Serviço Público, do Serviço de Pronto Socorro - entregue à Sociedade de As­sistência Hospitalar -, e do Grupo Escolar Presidente Roosevelt.

Transferido para a reserva em maio de 1945, permaneceu como interventor no Rio Grande do Norte até agosto seguinte, quando passou o cargo a Georgino Avelino.

Em sua carreira militar cursou ainda o Centro de Instrução de Artilharia da Costa.

Faleceu no Rio de Janeiro em 1966.

 

FONTES: CASCUDO, L. História; CORRESP. GOV. EST. BA; Encic. Mirador; Grande encic. Delta; LAGO, L. Relação; MELO, A. Cartilha; MIN. GUERRA. Almanaque (1934 e 1942); PEIXOTO, A. Getúlio; POPPINO, R. Federal; SILVA, H. 1937.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados