DARIO DE FARIA TAVARES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TAVARES, Dario
Nome Completo: DARIO DE FARIA TAVARES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TAVARES, DARIO

TAVARES, Dario

*dep. fed. MG 1979-1983.

 

Dario de Faria Tavares nasceu em Córrego Danta (MG) no dia 26 de dezembro de 1918, filho de Secundino de Faria Tavares, ex-prefeito de Patrocínio, e de Mariana de Oliveira Tavares. Seus irmãos Carlos de Faria Tavares e Expedito de Faria Tavares foram deputados à Assembléia Legislativa mineira, respectivamente, de 1955 a 1959 e de 1963 a 1973. José de Faria Tavares, também seu irmão, foi senador da República entre 1964 e 1965.

Dario Tavares cursou o segundo grau no Ginásio Dom Lustosa, em Patrocínio (MG), transferindo-se em seguida para Belo Horizonte, onde, em 1944, concluiria o curso de medicina da Universidade de Minas Gerais (UMG), atual Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Entre 1940 e 1941, presidiu o diretório acadêmico da Faculdade de Medicina, da qual se tornou professor de anatomia humana em 1945, função que exerceria por 14 anos. Em 1955, assumiu a chefia da Enfermaria de Cirurgia de Homens da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. Ainda em 1955, tornou-se membro do Colégio Internacional de Cirurgiões.

Clinicando em Belo Horizonte, em 1961 foi eleito presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG), permanecendo neste último cargo até 1963. Em 1966, ocupou a presidência da Sociedade de Gastroenterologia de Minas Gerais e, de 1968 a 1973, foi chefe da Clínica Proctológica do IPSEMG, diretor clínico da Casa de Saúde São Lucas e vice-diretor clínico da Santa Casa de Misericórdia. Ainda em 1973, passou a integrar a Academia Mineira de Medicina.

Com a posse de Aureliano Chaves no governo de Minas em março de 1975, tornou-se secretário de Saúde do estado. Ocupou este cargo até maio de 1978, desincompatibilizando-se então da função para disputar, no pleito de novembro seguinte, uma indicação à Câmara Federal. Eleito pela Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, e empossado em fevereiro de 1979, participou dos trabalhos legislativos como membro titular da Comissão de Saúde da Câmara.

Após a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação que reuniu a maioria dos filiados da extinta Arena. Concluiu o mandato federal em janeiro de 1983 e, dois meses depois, com a posse de Tancredo Neves no governo mineiro, assumiu novamente a Secretaria de Saúde do estado, já filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Confirmado no cargo pelo governador Hélio Garcia, que sucedeu a Tancredo — que se desincompatibilizara em agosto de 1984 da chefia do Executivo mineiro para candidatar-se à presidência da República —, Dario Tavares seguiu à frente da secretaria até setembro de 1986, quando foi indicado para assumir o posto de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), de onde saiu aposentado em fevereiro de 1988.

Dario Tavares foi membro do Colégio Brasileiro da Sociedade Brasileira de Angiologia e da Sociedade Cardiovascular Internacional.

Pertenceu à União Democrática Nacional.

Faleceu em 6 de dezembro de 1995.

Era casado com Júlia Ferreira Tavares, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CARVALHO, A. Dic.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados