DIAS, Wellington

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DIAS, Wellington
Nome Completo: DIAS, Wellington

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SOUZA, ANTONIO JOSÉ DE MORAIS

DIAS, Wellington

*dep. fed. PI 1999-2002; gov. PI 2003 -  

 

José Wellington Barroso de Araújo Dias nasceu em Oeiras (PI) no dia 5 de março de 1962, filho do caminhoneiro Joaquim Antônio Neto e da lavradora e professora Teresinha de Araújo Dias.

Foi criado em Paes Landim (PI), onde iniciou sua militância política nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Em 1981, trabalhou como caixa e gerente substituto do Banco do Estado do Piauí, em São João do Piauí (PI), e começou a atuar no movimento sindical. Iniciou, sem concluir, a graduação em letras na Universidade Federal do Piauí (UFPI) em 1982, quando teve destacada atuação no movimento estudantil. Aprovado em concurso, tornou-se funcionário da Caixa Econômica Federal (CEF) e em 1984 passou a ocupar o cargo de gerente. Em 1985 filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e de 1986 a 1989 exerceu a presidência da Associação de Pessoal da Caixa. Nesse último ano, foi eleito presidente do Sindicato dos Bancários, em Teresina. Presidiu o conselho deliberativo da Fenae Corretora de Seguros de 1987 a 1988, e foi secretário do conselho fiscal de 1988 a 1989.

Iniciou a carreira política em 1992 ao se eleger vereador de Teresina, na legenda do PT. Em 1994 renunciou ao mandato e no pleito de outubro elegeu-se deputado estadual. Empossado em fevereiro de 1995, foi o primeiro presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia estadual. No ano seguinte, candidatou-se a vice-prefeito de Teresina na chapa encabeçada por Nazareno Fonteles, que não foi eleita. De 1996 a 1997 foi diretor da Fenae Corretora de Seguros e da Fenae Viagens e Turismo (Fenaetur), ambas em Brasília.

Nas eleições de outubro de 1998, elegeu-se deputado federal pelo Piauí na legenda do PT, tendo sido o primeiro parlamentar do estado eleito pela agremiação. Assumindo o mandato na Câmara em fevereiro de 1999, presidiu a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e foi titular da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Teve atuação destacada, a ponto de ser relacionado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) na lista dos cem mais influentes parlamentares brasileiros no ano 2000. Nas eleições municipais realizadas em outubro desse mesmo ano disputou a prefeitura de Teresina, mas foi derrotado no primeiro turno por Firmino Soares Filho, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Retornou então à Câmara dos Deputados.

Pouco antes de ser iniciada a campanha eleitoral de 2002, fez aliança com o ex-governador Francisco de Assis de Morais Sousa, conhecido como Mão Santa, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). No pleito realizado em outubro, concorreu ao cargo de governador do Piauí na legenda do PT. Obteve mais de 50% dos votos válidos, o que lhe assegurou a vitória, ainda no primeiro turno, sobre Hugo Napoleão, do Partido da Frente Liberal (PFL), candidato à reeleição. Com essa vitória foi o primeiro governador eleito na legenda petista no Nordeste.

Empossado em janeiro de 2003, procurou solucionar os altos índices de analfabetismo e analfabetismo funcional com a implantação do método do Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (Geempa) que, associado a uma série de projetos, teria o estado do Piauí como laboratório. O programa de alfabetização foi desenvolvido pela deputada Ester Grossi (PT-RS) e financiado pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Teve início em Guaribas e depois foi implantado em três municípios próximos: Acauã, São Raimundo Nonato e Anísio de Abreu. Ainda em sua gestão, o governo federal lançou o programa Fome Zero em Guaribas e um programa de construção de casas populares financiado pela CEF, com o objetivo de substituir casas consideradas em estado precário.

Candidato à reeleição em 2006, durante a campanha tentou novamente uma aliança com o PMDB, mas o partido indicou o ex-governador Mão Santa como seu candidato. Após a tentativa frustrada, formou uma coligação com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), a quem cedeu o cargo de vice-governador para o então deputado estadual Wilson Martins, e com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), a quem coube a vaga ao Senado Federal para João Vicente Claudino. Na eleição realizada em outubro, venceu a disputa no primeiro turno, com 61,68% dos votos válidos.

Iniciou o novo mandato em janeiro de 2007 com a promessa de priorizar a educação desde a alfabetização até o ensino superior. Entre os destaques de sua administração incluem-se o combate à desnutrição, a expansão do programa saúde da família, o programa Fome Zero e o programa do leite. Ainda em 2007 o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí decidiu, por unanimidade, manter a multa que lhe fora aplicada pela prática de abuso de poder econômico nas eleições de 2006.

Além da carreira política, cursou especialização em políticas públicas e governo na Universidade Federal do Rio de Janeiro e foi radialista na Rádio Difusora

Casou-se com Rejane Ribeiro Sousa Dias, com quem teve três filhos.

 

FONTES: Folha de S. Paulo (8/10/02); Folha de S.Paulo (online) 04 fev. 2003, 12 ago. 2006, 01 jan. e 08 ago. 2007. Disponível em : <http://www1.folha.uol.com.br>.  Acesso em :  27 set. 2009; G1. Portal de Notícias da Globo (19/8/06). Disponível em : <http://g1.globo.com>. Acesso em : 27 set. 2009; Portal DIAP. Disponível em : <http://www.diap.org.br/index.php/artigos/6109-a_elite_do_congresso>. Acesso em : 27 set. 2009; Portal do Governo do Estado do Piauí (20/1/04). Disponível em : <http://www.piaui.pi.gov.br/index.php>. Acesso em : 27 set. 2009; Portal do TSE.  Consulta de Dados Eleitorais. Disponível em : <http://www.tse.gov.br/internet/ eleicoes/index.htm>. Acesso em : 27 set. 2009; Portal TERRA – Notícias (1/10/06) Eleições - 2006. Disponível em : <http://noticias.terra.com.br/eleicoes2006>. Acesso em : 27 set. 2009.

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados