DINIZ, BENEDITO FREITAS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DINIZ, Benedito Freitas
Nome Completo: DINIZ, BENEDITO FREITAS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DINIZ, BENEDITO FREITAS

DINIZ, Benedito Freitas

*militar; dep. fed. MA 1947-1951, 1955 e 1956-1958.

 

Benedito Freitas Diniz nasceu em Brejo (MA) no dia 9 de outubro de 1909, filho de Domingos Freitas Diniz e de Júlia Veiga Diniz. Seu pai era fazendeiro e comerciante em Araioses (MA).

Sentou praça em abril de 1927, tornando-se aspirante em janeiro de 1932, segundo-tenente em agosto do mesmo ano, primeiro-tenente em outubro de 1933 e capitão em dezembro de 1937. Nesse período, serviu no 24º Batalhão de Caçadores, sediado em São Luís, e na Circunscrição de Recrutamento de João Pessoa.

Iniciou sua carreira política após o fim do Estado Novo, elegendo-se em dezembro de 1945, na legenda do Partido Social Democrático (PSD), primeiro suplente de deputado pelo Maranhão à Assembléia Nacional Constituinte reunida a partir de fevereiro de 1946. Após a promulgação da nova Constituição em setembro de 1946 e a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, assumiu uma cadeira na Câmara no dia 24 de janeiro de 1947, ocupando a vaga aberta pela eleição do deputado Vitorino Freire para o Senado. Durante seu mandato, que se estendeu até janeiro de 1951, integrou a Comissão Permanente de Segurança Nacional da Câmara, e foi promovido a major em setembro de 1948.

No pleito de outubro de 1950, candidatou-se a deputado federal pelo Maranhão, dessa vez na legenda do Partido Social Trabalhista (PST), encabeçada por Vitorino Freire, ficando com a terceira suplência. Em 1951, foi nomeado chefe de polícia e comandante da Polícia Militar (PM) do Maranhão pelo governador Eugênio Barros.

Promovido a tenente-coronel em março de 1953, candidatou-se outra vez a deputado federal pelo Maranhão em 1954, novamente na legenda do PSD. Eleito, deixou a chefia de polícia e o comando da PM maranhense para retornar à Câmara em fevereiro de 1955. Porém, após recurso impetrado na Justiça Eleitoral pelos candidatos que se consideravam prejudicados com a impugnação das urnas da 41ª Zona Eleitoral, houve nova contagem de votos nessa zona, cujo resultado, divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em 1º de março de 1955, alterou a posição dos candidatos eleitos no pleito de outubro do ano anterior. Assim sendo, Antônio Eusébio da Costa Rodrigues e Benedito Freitas Diniz perderam suas cadeiras na Câmara para Cid Carvalho e Pedro Braga Filho.

Diniz exerceu o mandato até novembro do mesmo ano e de junho de 1956 a junho de 1958. No pleito de outubro deste último ano, tentou a reeleição, ainda na legenda do PSD, ficando porém com a quarta suplência e não chegando a ser convocado para a Câmara na legislatura iniciada em fevereiro de 1959. Passou para a reserva em 1960, no posto de general-de-brigada. Não voltou a concorrer a qualquer cargo político eletivo.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 26 de novembro de 1998.

Era casado com Iraci Koblit Diniz, com quem teve duas filhas. Seu sobrinho-neto Domingos de Freitas Diniz Neto foi deputado federal pelo Maranhão de 1967 a 1975 e de 1979 a 1983.

 

FONTES: BUZAR, B. Vitorinismo; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; Diário do Congresso Nacional; CURRIC. BIOG.; INF. Iraci Diniz; MIN. GUERRA. Almanaque (1940 e 1957); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3 e 4).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados