DJALMA MARTINS VELOSO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VELOSO, Djalma
Nome Completo: DJALMA MARTINS VELOSO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VELOSO, DJALMA

VELOSO, Djalma

*gov. PI 1978-1979.

 

Djalma Martins Veloso nasceu em Valença (PI) no dia 20 de outubro de 1921, filho de Cinéas de Castro Veloso e de Benedita Martins Veloso.

Graduou-se pela Faculdade de Direito da Universidade da Bahia em 1949.

Iniciou sua vida pública filiando-se à União Democrática Nacional (UDN), em cuja legenda foi eleito deputado estadual no Piauí em outubro de 1954. Assumiu o mandato em fevereiro de 1955, elegendo-se secretário da mesa diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 1957-1959. Reeleito em outubro de 1958, em janeiro de 1959 tornou-se secretário-geral do diretório regional da UDN. Exerceu ainda de forma alternada, até a extinção dos partidos políticos em 1965, a vice-presidência e a presidência desse diretório. Durante seu segundo mandato licenciou-se para assumir, em janeiro de 1960, a Secretaria de Interior, Justiça e Segurança Pública do estado no governo de Francisco Chagas Rodrigues (1959-1962). Permaneceu nesse cargo até dezembro de 1961, reassumindo em seguida sua cadeira na Assembleia.

Em outubro de 1962 reelegeu-se deputado estadual, iniciando o novo mandato em fevereiro do ano seguinte. Após a vitória do movimento político-militar de 31 de março de 1964 e a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965), filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar. Tornou-se então secretário-geral do diretório regional e líder do partido e do governo Petrônio Portela (1963-1966) na Assembleia. Reelegeu-se em novembro de 1966, sendo escolhido vice-presidente da mesa diretora da casa para o biênio 1969-1971. Mais uma vez reeleito deputado estadual em novembro de 1970, permaneceu como líder do governo nas gestões de Helvídio Nunes (1966-1970) e Alberto Silva (1971-1975). Foi também membro titular das comissões de Constituição e Justiça, de Educação e de Negócios Municipais.

Em 1974 foi escolhido pelo partido para compor, como vice-governador, a chapa liderada por Dirceu Arcoverde. Eleito por voto indireto em outubro, tomou posse em março de 1975, e em 14 agosto de 1978, com a renúncia de Arcoverde para concorrer a uma cadeira no Senado, assumiu o governo do estado. Permaneceu no cargo até março de 1979, quando o transferiu ao novo governador Lucídio Portela (1979-1983). Em seguida, foi nomeado secretário de Governo. Com a reforma partidária de novembro de 1979, que acabou com o bipartidarismo, instituindo o pluripartidarismo, filiou-se no ano seguinte ao Partido Democrático Social (PDS), criado para substituir a Arena no apoio ao governo.

Após a posse de Hugo Napoleão no governo do estado em março de 1983, foi mantido na Secretaria de Governo. Nela permaneceu até novembro de 1984, quando se afastou para assumir, por indicação do governador, uma vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Aposentou-se em outubro de 1991 e não voltou a concorrer a qualquer cargo público.

Faleceu em Teresina no dia 8 de maio de 2007.

Casado com Maria Eutália Leal Veloso, teve sete filhos.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Portal Cabeça de Cuia. Disponível em: < http://www.cabecadecuia.com/noticias/4237/governo-decreta-luto-oficial-pela-morte-de-djalma-martins-veloso-.html>. Acesso em : 04 set. 2009; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (3, 4, 6, 8 e 9).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados