Eduardo Valverde Araújo Alves

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VALVERDE, Eduardo
Nome Completo: Eduardo Valverde Araújo Alves

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

VALVERDE, Eduardo

* dep.fed. RO 2003-2011.

 

                Eduardo Valverde Araújo Alves nasceu no Rio de Janeiro, no dia 20 de fevereiro de 1957, filho de Vanderval Araújo Alves e de Cecília Ansel Valverde.

                Entre 1974 e 1977, fez o curso de tecnólogo mecânico na Escola de Formação de Oficiais de Marinha Mercante (EFOMM). Em 1978, tornou-se oficial da Marinha Mercante, trabalhando na Frota Nacional de Petroleiros e na Frota Oceânica Brasileira até 1981. No ano seguinte, transferiu-se para Rondônia, passando a trabalhar como técnico na Eletronorte.

Em 1985, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e no ano seguinte, tornou-se presidente do Sindicato dos Urbanitários – do qual foi um dos fundadores – e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), ambos em Porto Velho. Entre 1988 e 1989 exerceu o cargo de presidente do Diretório Municipal do PT de Porto Velho. Neste último ano, deixou a presidência do Sindicato dos Urbanitários e iniciou o curso de direito na UNIR.

                Entre 1991 e 1992, foi presidente do Conselho Estadual do Trabalho e nos dois anos seguintes, membro do Conselho Estadual de Previdência Social. Ainda em 1994, encerrou seu mandato na presidência da CUT.

No pleito de outubro deste ano, candidatou-se a uma cadeira no Senado pelo estado de Rondônia na legenda do PT, obtendo apenas a 4ª colocação.

Em 1995, deixou a Eletronorte, para assumir o cargo de auditor fiscal do trabalho na Delegacia Regional do Trabalho de Rondônia, além de iniciar o mandato de presidente do Diretório Regional do PT, função que exerceria até 1999. Em 1996, graduou-se em administração.

Diplomado senador pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia em junho de 2001, teve, porém, logo a seguir, a diplomação sustada por ato do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatando ação do senador Fernando Matusalém, que exercia o mandato desde outubro de 2000 em virtude da eleição do senador Ernandes Amorim para a Prefeitura de Ariquemes (RO) neste pleito. O imbróglio fora criado pois o TSE, em agosto de 2000,  cassou o mandato de Ernandes Amorim (e de toda a sua chapa) por abuso de poder econômico nas eleições de 1994. Amorim recorreu, mas somente em junho de 2001, o TSE examinou e rejeitou seu recurso, convocando, então, Eduardo Valverde, em virtude do 3° colocado no pleito de 1994, Amir Lando, já estar no exercício do mandato de senador por ter sido eleito em outubro de 1998.

Nas eleições de outubro de 2002, Eduardo Valverde candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados por Rondônia novamente na legenda do PT. Eleito, assumiu o mandato parlamentar em fevereiro seguinte, participando dos trabalhos legislativos como membro titular das comissões permanentes de Minas e Energia, de Fiscalização Financeira e Controle, e de várias comissões especiais, entre elas as da Reforma da Previdência, , do Código Brasileiro de Combustíveis, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e Defesa da Concorrência, e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) de Evasão de Divisas. Foi também membro titular das comissões externas de Assassinato de Fiscais do Ministério do Trabalho, da Reserva Indígena Raposa Serra do Sol e da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a Privatização do Setor Elétrico.

                No pleito de outubro de 2006, foi reeleito para a Câmara dos Deputados na legenda do PT. Assumiu o mandato em fevereiro seguinte, participando dos trabalhos legislativos como vice-presidente da Comissão Permanente de Minas e Energia, relator das comissões especiais do Quadro de Servidores de Rondônia e de Exploração Recursos Terras Indígenas , e membro titular das comissões especiais de Limite de Despesa com Pessoal  e de Atendimento Socioeducativo. Na eleição de outubro de 2010, disputou sem sucesso ao cargo de governador de Rondônia na legenda petista. Deixou a Câmara dos Deputados em 31 de janeiro de 2011, ao final da legislatura.  

               Foi casado com Mara Regina.

               Faleceu em Ji-Paraná (RO) no dia 11 de março de 2011.

 

 

FONTES: Diário da Amazônia 14/3/11; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www2.camara.%20gov.br/deputados/index.html/loadFrame.html>. Acesso em : 13 fev. 2009; Portal Direito2. Disponível em : <http://www.direito2.com.br/tse/2002/fev/21/tse_confirma_suspensao_%20da_diplomaao_de_eduardo_valverde>. Acesso em : 20 fev. 2009; Portal do dep. fed. Eduardo Valaverde. Disponível em : <http://http://www.portalvalverde.com.br/conteudo.asp?%20cod=1>. Acesso em : 19 fev. 2009; Portal do Senado Federal. Disponível em : <http://www.senado.gov.br/senamidia/parla/noticiaDoDia1.asp?ud=20010630&codParlamentar=42&nomParlamentar=Jos%E9+Bianco&codNoticia=41038&datNoticia=20010630>. Acesso em : 20 fev. 2009; Portal Jus Navegandi. Disponível em : <http://jus2.uol.%20com.br/doutrina/texto.asp?id=2295>. Acesso em : 20 fev. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados