ELOI, CARLOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ELÓI, Carlos
Nome Completo: ELOI, CARLOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ELÓI, CARLOS

ELÓI, Carlos

*dep. fed. MG 1979-1987.

Carlos Elói Carvalho Guimarães nasceu em Pompeu (MG) no dia 3 de junho de 1935, filho do fazendeiro e político José Mariano de Campos Guimarães e de Neli Carvalho Guimarães. Seu tio Paulo Campos Guimarães foi deputado estadual por Minas Gerais (1951-1963).

Cursou o secundário no Ginásio São Francisco, em Pará de Minas (MG), e nos colégios Anchieta e Marconi, em Belo Horizonte. Em 1960 bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Advogado, no oeste mineiro, aliou-se ao tio, Francisco Luís da Silva Campos, na defesa dos direitos dos desapropriados da região da represa de Três Marias.

Tendo participado da campanha vitoriosa de José de Magalhães Pinto ao governo estadual de Minas Gerais, em 1961 serviu durante dez meses no seu gabinete civil. Em outubro de 1962 foi eleito deputado estadual pela legenda da União Democrática Nacional (UDN). Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instaurado no país em abril de 1964. Reeleito sucessivamente nos pleitos de novembro de 1966, 1970 e 1974, integrou diversas comissões técnicas da Assembléia Legislativa e durante a última legislatura liderou a bancada da Arena e presidiu o diretório regional do partido.

Elegeu-se deputado federal no pleito de novembro de 1978, lecenciando-se do mandato em março de 1979 para tomar posse como secretário de Viação e Obras Públicas de Minas, no governo de Francelino Pereira dos Santos (1979-1983). Com a extinção do bipartidarismo, em novembro de 1979, e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena. Em maio de 1982 reassumiu a sua cadeira na Câmara.

Titular das comissões de Ciência e Tecnologia e de Agricultura e Política Rural, e suplente da Comissão de Transportes, em novembro de 1982 conquistou o seu segundo mandato federal. Ausente da sessão de 25 de abril de 1984, quando a Câmara rejeitou por falta de quorum a emenda Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República, e tendo votado no então ministro dos Transportes, Mário Andreazza, derrotado na convenção do PDS realizada em agosto de 1984 pelo deputado Paulo Maluf, no Colégio Eleitoral reunido em 15 de janeiro de 1985, Carlos Elói apoiou Tancredo Neves, candidato da Aliança Democrática, coligação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS reunida na Frente Liberal. Vitorioso, mas gravemente enfermo, Tancredo não chegou a ser empossado, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo o cargo interinamente, desde 15 de março deste ano.

Filiado ao Partido da Frente Liberal (PFL) Carlos Elói tentou eleger-se deputado federal constituinte em novembro de 1986. Malsucedido, deixou a Câmara ao término da legislatura, em janeiro de 1987.

Presidiu a Companhia Energética de Minas Gerais S.A. (Cemig) de 1991 a 1998.

Casado com Miriam Julieta Carvalho Guimarães, teve dois filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1979-1983, 1983-1987); Folha de S. Paulo (13/1/85, 31/1/87); Globo (26/4/84 e 16/1/85); INF. BIOG.; TRIB. REG. ELEIT. MG.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados