FABIO FONSECA E SILVA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FONSECA, Fábio
Nome Completo: FABIO FONSECA E SILVA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FONSECA, FÁBIO

FONSECA, Fábio

*dep. fed. MG 1971-1979.

 

Fábio Fonseca e Silva nasceu em Uberlândia (MG) no dia 20 de fevereiro de 1920, filho de Adolfo Fonseca e Silva e de Filipa de Morais Fonseca.

Cumpriu os estudos secundários no Ginásio Mineiro, em Belo Horizonte. Integrante da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que combateu na Itália de 1944 a 1945 durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), ao retornar ao Brasil cursou inicialmente a Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, transferindo-se, em seguida, para a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, que lhe conferiu o grau de bacharel, em 1950. Dedicando-se à medicina, tornou-se mais tarde chefe de clínica médica da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte. Pertenceu, também, ao corpo clínico do Sanatório Imaculada Conceição, em cuja instituição criou um curso de alfabetização para adultos, um banco de medicamentos e um serviço de laboterapia.

Iniciou sua vida política no pleito de novembro de 1970, quando se elegeu deputado federal por Minas pela legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Assumindo o mandato em fevereiro de 1971, tornou-se, ainda nesse ano, vice-presidente da Comissão de Saúde e integrou o Grupo de Trabalho para Estudo da Atualização do Regimento Interno e Reforma do Processo Legislativo. Foi também suplente das comissões de Educação e Cultura e do Polígono das Secas da Câmara Federal. Participou ainda da Comissão Nacional de Saúde, encarregada de examinar o Plano Nacional de Saúde elaborado pelo governo.

Membro do Conselho Federal de Medicina, representou o órgão, em 1972, na XXVI Assembléia da Associação Médica Mundial, realizada em Amsterdam, na Holanda, e na IV Conferência de Estudos e Ensino Médico, reunida em Copenhague, na Dinamarca.

Em novembro de 1974, reelegeu-se à Câmara Federal pela legenda do MDB, exercendo durante o ano de 1975 a presidência da Comissão de Saúde. Ligado ao Clube Atlético Mineiro — cuja torcida, segundo a grande imprensa, fora responsável por sua eleição —, integrou, em 1976, a Comissão Mista da Câmara formada para examinar o projeto governamental de regulamentação da profissão de jogador de futebol. Em abril de 1977, por ocasião do recesso extraordinário do Congresso decretado pelo presidente Ernesto Geisel (1974-1979), manifestou sua crença no aprimoramento do processo democrático através das reformas que seriam implementadas pelo governo, defendendo ainda a transformação do Congresso em Assembléia Nacional Constituinte e a posterior convocação de eleições de acordo com as normas estabelecidas pela Carta a ser promulgada. No pleito de novembro de 1978, obteve apenas uma suplência de deputado federal por Minas Gerais pela legenda do MDB, concluindo seu mandato em janeiro do ano seguinte.

O fim do bipartidarismo, em novembro de 1979, levou-o a ingressar no Partido Democrático Social (PDS), agremiação que aglutinou a maioria dos remanescentes da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido que apoiara o regime militar.

Fábio Fonseca foi também presidente do Departamento de Clínica Médica da Associação Médica de Minas Gerais e professor de Pneumologia e de Clínica Propedêutica da Faculdade de Ciências Médicas de Belo Horizonte.

Faleceu em Belo Horizonte no dia 20 de setembro de 1984.

Era casado com Eni Lippi Fonseca e Silva, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1971-1975 e 1975-1979); Jornal do Brasil (10/1 e 10/6/76 e 3/4/77); NÉRI, S. 16; Perfil (1972); Rev. Arq. Públ. Mineiro (12/76).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados