FEIJO, GERMINAL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FEIJÓ, Germinal
Nome Completo: FEIJO, GERMINAL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

FEIJÓ, Germinal 

* dep. fed. SP 1964-1967.

 

Germinal Feijó nasceu na cidade de São Paulo no dia 19 de janeiro de 1917, filho de Romeu Feijó e de Maria da Conceição Feijó.

Após realizar os primeiros estudos com uma professora particular, cursou o ginasial no Colégio Paulista e no Instituto de Ciências e Letras, concluindo-o em 1934. No ginásio fundou o jornal Flama, órgão da Sociedade de Estudos Brasileiros, e a revista Interginasial.

Ingressou depois na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), destacando-se durante sua vida universitária como militante do movimento estudantil. Um dos fundadores da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 1937, participou, em setembro de 1942, de seu quinto congresso como representante do centro acadêmico XI de Agosto da Faculdade de Direito da USP, entidade da qual foi presidente. Em novembro de 1943 foi um dos signatários do Manifesto à nação, redigido pelas lideranças daquele centro acadêmico contra o Estado Novo, regime implantado em novembro de 1937.

Membro de várias instituições ligadas à vida universitária e colaborador em jornais e revistas acadêmicas, foi diretor da Sociedade dos Amigos de Rui Barbosa e da revista Academia.  Dedicou-se também à poesia  e  colaborou na revista Arcádia, tendo figurado entre os que vieram a constituir o grupo Poesia sob as Arcadas, organizado por Ulisses Guimarães. Diplomado em 1944, atuou como advogado no foro de São Paulo.

Com a extinção do Estado Novo em 1945, Germinal Feijó candidatou-se em janeiro de 1947 à Assembléia Constituinte estadual de São Paulo na legenda do Partido Socialista Brasileiro (PSB), obtendo uma suplência. Oficial de gabinete do prefeito de São Paulo, Jânio Quadros (1953-1955), ocupou esse cargo até agosto de 1954 e em outubro elegeu-se deputado estadual na legenda do PSB, iniciando seu mandato em fevereiro de 1955. Reelegeu-se em outubro de 1958 para a Assembléia Legislativa do estado, tornando-se membro das comissões permanentes de Constituição e Justiça, Educação e Saúde.

Em outubro de 1962, Germinal Feijó candidatou-se a uma cadeira de deputado federal por seu estado, dessa vez na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), obtendo uma suplência. Deixou a Assembléia paulista em janeiro de 1963 e, em decorrência da onda de cassações a mandatos de parlamentares provocada pelo movimento político-militar de 31 de março de 1964, em junho desse ano assumiu uma cadeira de deputado. Com a extinção dos partidos políticos por força do Ato Institucional nº. 2, de 27 de outubro de 1965, e a posterior instauração do bipartidarismo, ingressou no Movimento Democrático Brasileiro (MDB), legenda de oposição ao regime militar.

Não candidatando-se à reeleição em novembro de 1966, deixou a Câmara em janeiro do ano seguinte, ao final da legislatura. Afastando-se da vida pública, passou a atuar no ramo agropecuário, em sua fazenda no município de Luanda, ao norte do Paraná. Transferindo-se para São José do Rio Pardo (SP) em 1976, com a extinção do bipartidarismo  em  novembro de 1979  e  a conseqüente  reformulação  partidária, foi um dos fundadores, nesse município, do  Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), agremiação que deu continuidade ao MDB. Manteve-se à frente de sua fazenda no Paraná até 1986, quando vendeu a propriedade e aposentou-se.

Em 1988 foi um dos fundadores, em São  José  do  Rio  Pardo, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), agremiação formada por dissidentes peemedebistas, assumindo a presidência do diretório municipal. Em 1995 deixou este cargo, tornando-se presidente de honra do partido.

Casou-se com Adi Peres Rodrigues Feijó.

Publicou, entre outros trabalhos, Discursos acadêmicos (1943), Discursos (1944) e A mocidade brasileira e sua vocação democrática.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros.  Repertório (1963-1967); Eleitos; Grande encic.  Portuguesa; INF. BIOG.; MELO, L. Dic.; POERNER, A. Poder; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 3, 4 e 6).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados