FERNANDES, Dino

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERNANDES, Dino
Nome Completo: FERNANDES, Dino

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FERNADES, Dino

FERNANDES, Dino

*dep. fed. RJ 1999-2003.

 

Itanildes Orlando Fernandes, conhecido como Dino Fernandes, nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 7 de agosto de 1950, filho de Pedro Fernandes Filho e de Itália Orlando Fernandes. Seu pai foi deputado estadual por dez mandatos; sua irmã, Rosa Fernandes, foi a vereadora mais votada nas eleições municipais do Rio de Janeiro em 2000; seu sobrinho, Pedro Fernandes Neto, foi deputado estadual e candidato a vice-prefeito do Rio de Janeiro nas eleições de 2008.

Em 1972 ingressou no curso de direito da Universidade Gama Filho e filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar. Em 1974 tornou-se assistente na Procuradoria do Patrimônio Imobiliário, no Rio de Janeiro, e em 1976 bacharelou-se. Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a consequente reorganização partidária, passou a integrar o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em 1987 transferiu-se para o Partido Trabalhista Renovador (PTR) e, no período de 1989 a 1990, ocupou a vice-presidência e a diretoria de obras da Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais do Estado do Rio de Janeiro (Coderte-RJ). Nesse último ano mudou para o Partido da Renovação Nacional (PRN), em 1991 ingressou no Partido Social Trabalhista (PST), em 1996 no Partido da Frente Liberal (PFL), e em 1997 no Partido Social Cristão (PSC).

No pleito de outubro de 1998, elegeu-se deputado federal pelo Rio de Janeiro na legenda do PSC. Assumiu o mandato na Câmara e fevereiro de 1999 e nesse mesmo ano transferiu-se para o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Participou como membro titular da Comissão de Desenvolvimento Urbano e Interior, da Comissão Especial de Direitos Sociais e da Comissão Externa Cimeira Mercosul/União Européia .

Ainda em 2001, filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB). Não tendo disputado o pleito de outubro de 2002, em 2003 deixou o PPB.

Foi preso em maio de 2006, junto com outros 11 ex-parlamentares, após ser acusado de participar de um esquema de compra de ambulâncias e equipamentos hospitalares para prefeituras a preços superfaturados, com dinheiro da União. O “escândalo dos sanguessugas”, como o episódio ficou conhecido, envolvia corrupção ativa, formação de quadrilha e fraude em licitações.

Casado, teve três filhos.

 

FONTES: Câmara dos Deputados. Deputados brasileiros. Repertório (1999-2003); Câmara dos Deputados: http://www2.camara.gov.br/; Diário de Cuiabá Online (2/6/06); Folha de S. Paulo Online (25/3 e 11/5/01, 4/10/04); Site Democracia: www.democracia.com.br; Site Terra: 2/2/06 http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1030869-EI306,00.html; UOL (Folha de São Paulo):  16/08/06   http://noticias.busca.uol.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados