FERNANDES, OTAVIO JOSE SAMPAIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERNANDES, Otávio José Sampaio
Nome Completo: FERNANDES, OTAVIO JOSE SAMPAIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FERNANDES, OTÁVIO JOSÉ SAMPAIO

FERNANDES, Otávio José Sampaio

*militar; comte. IV DN 1968-1970; comte. I DN 1970-1971; comte-em-ch. Esquadra 1971-1972; min. STM 1974-1984.

 

Otávio José Sampaio Fernandes nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 19 de junho de 1914, filho de Gaspar Sampaio Fernandes e de Maria Sampaio Fernandes.

Sentou praça na Marinha em março de 1931, ingressando na Escola Naval, de onde saiu guarda-marinha em outubro de 1934. Promovido a segundo-tenente em março de 1935 e a primeiro-tenente em outubro do ano seguinte, atingiu o posto de capitão-tenente em dezembro de 1940 e o de capitão-de-corveta em setembro de 1946. Nesses anos serviu em diversas embarcações e unidades da Marinha. Fez o curso de especialização de submarinos para oficiais e, a seguir, o da Escola de Guerra Naval, unidade da qual foi instrutor. Assumiu depois essa mesma função na Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, sendo promovido a capitão-de-fragata em setembro de 1952.

Comandante da base Almirante Castro e Silva e chefe do estado-maior do comando da Flotilha de Submarinos em 1958, Sampaio Fernandes foi promovido a capitão-de-mar-e-guerra em janeiro do ano seguinte, assumindo a chefia do estado-maior da Força de Transporte da Marinha, posto no qual permaneceu até 1960. De 1960 a 1961, cursou a Escola Superior de Guerra, cujo corpo permanente passou a integrar. A seguir, comandou a Flotilha de Submarinos e, de 1962 a 1964, foi adido naval na Argentina e no Uruguai. Chefe do Departamento de Assistência Social da Marinha de 1964 a 1965, assumiu neste último ano a chefia do estado-maior do Comando-em-Chefe da Esquadra.

Promovido a contra-almirante em dezembro de 1965, foi comandante da Força de Transporte da Marinha de 1966 a 1967 e subchefe para operações do Estado-Maior da Armada de 1967 a 1968. Em julho desse último ano, assumiu o comando do IV Distrito Naval, sediado em Belém, e em outubro foi promovido a vice-almirante. Permaneceu no cargo até janeiro de 1970, quando passou a comandar o I Distrito Naval, no Rio de Janeiro. Comandante-em-chefe da Esquadra a partir de março de 1971, atingiu o posto de almirante-de-esquadra em dezembro desse ano. Nomeado em fevereiro de 1972 diretor-geral do Material da Marinha, exerceu esse cargo até o ano seguinte, tornando-se depois secretário-geral da Marinha.

Sampaio Fernandes assumiu o cargo de ministro do Superior Tribunal Militar (STM) em dezembro de 1974, na vaga do almirante Valdemar de Figueiredo Costa, salientando na ocasião que ao STM competia não apenas julgar crimes militares, mas também “zelar pela segurança nacional, entendida como expressão da manutenção da integridade e continuidade da pátria”. Em 19 de novembro de 1975, em saudação pelo transcurso do Dia da Bandeira, declarou, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, que o lema “Ordem e Progresso” seria o impulsionador da segurança e do desenvolvimento em meio à sistemática campanha do comunismo internacional que, sob os mais diferentes disfarces, mistificava, espalhava meias-verdades, confundia os espíritos e anulava a vontade dos povos.

O almirante Sampaio Fernandes tornou-se também membro do Conselho do Almirantado.

Em março de 1983 assumiu a presidência do STM em substituição ao brigadeiro Faber Cintra. Permaneceu nessa função até junho do ano seguinte, quando se aposentou por limite de idade, sendo substituído na função pelo vice-presidente Guálter Godinho, que ocupou o cargo até a posse do novo presidente, uma semana depois.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 22 de julho de 1985.

Era casado com Maria Aparecida Sampaio Fernandes, com quem teve seis filhos.

 

 

FONTES: BASTOS, P. Superior; CORRESP. SERV. DOC. GER. MAR.; CORRESP. SUP. TRIB. MILITAR; Estado de S. Paulo (20/11/75, 23/2 e 18/3/83); Globo (23/7/85); Jornal do Brasil (7/12/74, 20/5 e 12/6/84, 23/7/85); MIN. MAR. Almanaque (1971); Perfil (1972 e 1974); Veja (31/7/85).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados