Fernando Antônio Ceciliano Jordão

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: JORDÃO, Fernando
Nome Completo: Fernando Antônio Ceciliano Jordão

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

JORDÃO, Fernando

* dep. fed. RJ 2011-

 

Fernando Antônio Ceciliano Jordão nasceu em 23 de junho de 1952, na cidade de Angra dos Reis (RJ), filho de Carmelo Peixoto Jordão e Aida Ceciliano Jordão. Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Santa Úrsula (USU), não atuou na profissão, dedicando-se à vida empresarial no comércio.

Foi eleito prefeito de Angra dos Reis no primeiro turno das eleições municipais de 2000, pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), com 73 % dos votos válidos. A sua candidatura foi apoiada por uma frente de onze partidos: Partido da Frente Liberal (PFL), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Partido Socialista Brasileiro (PSB), Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Partido Comunista do Brasil (PC do B), Partido Verde (PV), Partido Progressista Brasileiro (PPB), Partido Popular Socialista (PPS), Partido Social Cristão (PSC) e Partido Liberal (PL).

A vitória de Fernando Jordão pôs fim a oito anos de predomínio do Partido dos Trabalhadores (PT) em Angra, representado pelas gestões de Luís Sérgio Oliveira (1993-1996) e José Marques Castilho (1997-2000).

Foi reeleito prefeito do município de Angra dos Reis em 2004, desta feita pela legenda do PMDB. Fechou um polêmico contrato de R$ 1,2 milhão com a Listen, empresa de pesquisa de opinião, no último ano de seu segundo mandato, a fim de viabilizar o projeto “Angra de Portas Abertas”, que disponibilizou para a prefeitura um banco de dados sobre a população da cidade, após consultar um universo de 70 mil habitantes no período de um ano. Divulgado às vésperas das eleições, o resultado final do survey poderia beneficiar a estratégia de campanha da situação, sendo alvo de posterior contestação judicial.

Na impossibilidade de um terceiro mandato consecutivo, a presença de Fernando Jordão na política angrense teve continuidade com a eleição do seu primo, Arthur Otávio Scapin Jordão Costa, mais conhecido como Tuca Jordão (PMDB), para o Executivo local. No pleito de 2008, apoiado pela coligação “Continua Angra”, o ex-secretário de habitação da cidade derrotou a candidata petista Conceição Rabha (PT) com uma diferença de 4,5% dos votos válidos.

Após deixar a prefeitura de Angra, Jordão tornou-se secretário-executivo do Conselho de Desenvolvimento Sustentável da Baía da Ilha Grande (Consig), entidade formada pela associação de empresas e Organizações Não-Governamentais (ONG´s), para defender o meio ambiente da região e desenvolver projetos de desenvolvimento sustentável. 

Nas eleições de 2010, o ex-prefeito de Angra lançou-se candidato à Câmara Federal pelo PMDB. Conquistou a vaga de suplente do deputado Pedro Paulo Teixeira. Em março de 2011, com a indicação do titular para a Casa Civil do município do Rio de Janeiro, Jordão tomou posse do mandato. Atuou como membro titular da Comissão de Minas e Energia e membro suplente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Congresso Nacional, além de participar da Comissão Especial de Catástrofes Climáticas.  Durante sua passagem no legislativo federal, Jordão registrou um total de cento e vinte duas proposições, nenhuma delas transformada em norma jurídica.

Em junho de 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou o pedido de abertura de inquérito feito junto ao Ministério Público Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro contra Fernando Jordão, por uso indevido da máquina pública nas eleições municipais anteriores. De posse do mandato de deputado federal, o réu acusado de oferecer transporte marítimo gratuito a potenciais eleitores de Tuca Jordão, candidato apoiado por ele nas eleições municipais de 2008, teve direito a foro especial, sendo de responsabilidade da Procuradoria Geral da República denunciá-lo. O político fluminense foi enquadrado no artigo 299 do Código Eleitoral, que trata da compra de votos. Embora a vice-procuradora geral de República, Deborah Duprat, tivesse afirmado que a denúncia estava “fartamente documentada”, inclusive contendo um extrato de depósito bancário de prefeitura na conta do comandante da embarcação, o relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello, recomendou o reenvio do processo ao Ministério Público Federal para maiores apurações.

Nas eleições municipais de outubro de 2012, Fernando Jordão candidatou-se novamente à prefeitura de Angra dos Reis. Ficou em segundo lugar na disputa (47,58% dos votos válidos), derrotado pela petista Conceição Rabha (52,42%), ainda no primeiro turno. Pouco depois, uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE/RJ) entendeu que Jordão e o candidato a vice-prefeito deveriam ficar inelegíveis por oito anos, como punição pelo uso indevido do jornal A Cidade, que publicou seguidas edições com elogios à coligação “Angra no Coração”, enquanto veiculava críticas contra a chapa adversária. A decisão implicava em recurso, cabível no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Foi comodoro do Iate Clube Aquidabã, em Angra dos Reis, durante os anos de1987 a 1990. Recebeu o título de Amigo da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Rio de Janeiro (2002), de personalidade do ano da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Angra (2003) e a medalha do Mérito Tamandaré da Marinha do Brasil (2005).

 

Sérgio de Sousa Montalvão

 

FONTES: Portal Agência Brasil. Disponível em: <http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil>. Acesso em 01/10/2014; Portal da Câmara dos deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso e 01/10/2014; Portal EBC. Disponível em: <http://www.ebc.com.br>. Acesso em 01/10/2014 Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://g1.globo.com/index.html>. Acesso em 01/10/2014.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados