FERNANDO DA SILVA MACHADO CARRION

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARRION, Fernando
Nome Completo: FERNANDO DA SILVA MACHADO CARRION

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CARRION, FERNANDO

CARRION, Fernando

*dep. fed. RS 1991-1995.

Fernando da Silva Machado Carrion nasceu em Porto Alegre no dia 31 de janeiro de 1942, filho de Cândido Diderot Machado Carrion e de Dirce da Silva Machado Carrion. Seu pai foi deputado federal constituinte em 1946 e seu primo, Carrion Júnior, foi deputado estadual (1983-1991) e deputado federal (1991-1995).

Proprietário rural, Fernando Carrion estudou na Faculdade de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), concluindo seus estudos em 1964. Entre 1968 e 1974 foi engenheiro-chefe da residência do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem da cidade de Passo Fundo (RS), cargo que voltaria a ocupar no período de 1981 a 1983.

De 1974 a 1979 foi diretor-presidente da Companhia Intermunicipal de Estradas Alimentadoras e, entre 1979 e 1981, diretor de engenharia da Companhia de Habitação, tendo participado da construção de estradas e casas durante os governos de Euclides Triches (1971-1975) e Sinval Guazzelli (1975-1979).

Em novembro de 1982 foi eleito prefeito de Passo Fundo na legenda do Partido Democrático Social (PDS), sendo empossado na função em março do ano seguinte. Durante sua gestão, teve o mandato prorrogado por dois anos pelo Congresso Nacional, medida adotada para desvincular as eleições municipais dos pleitos estaduais e federais.

Deixando a prefeitura em 31 de dezembro de 1988, em outubro de 1990 elegeu-se deputado federal na legenda do PDS gaúcho. Assumindo sua vaga em fevereiro de 1991, integrou-se aos trabalhos legislativos como titular da Comissão de Viação e Transportes, Desenvolvimento Urbano e Interior da Câmara dos Deputados, tendo também participado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a reforma administrativa e o fechamento de agências e postos de serviço do Banco do Brasil.

Acompanhando a maioria dos deputados, votou favoravelmente, em 29 de setembro de 1992, à abertura do processo de impeachment por crime de responsabilidade contra o presidente da República, Fernando Collor de Melo, citado no relatório final da CPI que investigou denúncias de corrupção contra o ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias. Afastado da chefia do Executivo após a votação na Câmara, Collor acabou renunciando ao mandato em 29 de dezembro seguinte, antes mesmo da conclusão de seu julgamento pelo Senado Federal. Foi substituído na presidência pelo vice Itamar Franco, que vinha ocupando o cargo interinamente desde o dia 2 de outubro.

Em abril de 1993, Fernando Carrion filiou-se ao Partido Progressista Reformador (PPR), agremiação surgida da fusão do PDS com o Partido Democrata Cristão (PDC). Nas principais votações da legislatura 1991-1995, pronunciou-se favoravelmente à adoção do voto facultativo, à revisão do conceito de empresa nacional e à criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), tendo sido contrário à instituição do Fundo Social de Emergência (FSE).

Candidatou-se à reeleição em outubro de 1994, na legenda do PPR, porém não obteve êxito. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro do ano seguinte, ao findar o seu mandato.

Casou-se com Gilda Monteiro Machado Carrion.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Folha de S. Paulo (18/9/94); Perfil Parlamentar/IstoÉ.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados