FERRAÇO, Ricardo

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERRAÇO, Ricardo
Nome Completo: FERRAÇO, Ricardo

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FERRAÇO, Ricardo de Resende

FERRAÇO, Ricardo

*dep. fed. ES 1999-2003.

 

Ricardo de Resende Ferraço nasceu em Cachoeiro de Itapemirim (ES) no dia 17 de agosto de 1963, filho de Teodorico de Assis Ferraço Filho e de Marília de Resende Ferraço. Seu pai foi deputado estadual por três mandatos (1967-1971, 1971-1975 e 2007-), prefeito de Cachoeiro de Itapemirim por quatro vezes (1973-1977, 1989-1992, 1997-2000 e 2001-2004) e deputado federal pelo Espírito Santo por três mandatos (1979-1983, 1983-1987 e 1995-1999).

Em 1980 iniciou o curso de economia na Universidade Gama Filho no Rio de Janeiro, transferindo-se, no ano seguinte, para Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Ingressou na vida política em 1982, elegendo-se vereador da Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim. No pleito de outubro de 1990, foi eleito deputado estadual, reelegendo-se quatro anos depois, nessa oportunidade pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) com 12.223 votos. Entre 1995 e 1997 presidiu a Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (ALES), o mais jovem presidente da história daquela casa.

Em 1997, afastou-se da ALES para assumir o cargo de secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Estado do Espírito Santo, durante o mandato de José Ignácio Ferreira.

No pleito de outubro de 1998, foi eleito deputado federal pela legenda do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Obteve 75.241 votos, a maior votação do Espírito Santo. Em 1999 foi nomeado vice-líder do PSDB na Câmara, e representou a Câmara dos Deputados na III Conferência Ministerial da Organização Mundial de Comércio (OMC) em Seattle, nos Estados Unidos. No ano seguinte foi designado para função de vice-líder do bloco parlamentar PSDB-PTB.

No ano de 2001 desfiliou-se do PSDB e ingressou no Partido Popular Socialista (PPS). Logo no ano seguinte foi eleito vice-líder do PPS e do bloco parlamentar Partido Democrático Trabalhista (PDT)-PPS. Durante o mandato, atuou como titular nas comissões da Câmara de Economia, Indústria e Comércio; Reforma Tributária; Prorrogação da CPMF; Constituição e Justiça; Legislação Participativa; Limitação de Medidas Provisórias; Comércio Eletrônico; Agricultura e Tributação Cumulativa. Além de participar como suplente nas seguintes comissões: Finanças e Tributação, Minas e Energia, Relações Exteriores e de Defesa Nacional, ALCA - Área de Livre Comércio das Américas, PEC nº 20/95, Parlamentarismo e PEC nº 85/99, FEF. 

 Secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) durante o primeiro mandato do governador Paulo Hartung (2003 a 2006), implantou os projetos “Caminhos do Campo”, com o intuito de abrir e pavimentar estradas pelo interior; “Luz para Todos”, em parceria com o governo federal, para levar energia elétrica ao meio rural; e a recuperação ambiental e desenvolvimento sustentável da microbacia do córrego Tancredo, situada no município de São Roque do Canaã, na bacia do Rio Santa Maria, afluente do Rio Doce.

Foi ainda titular da representação do governo do Espírito Santo no Grupo Executivo para Recuperação Econômica do Espírito Santo (GERES), formado por representantes do Ministério da Fazenda, do Planejamento e Orçamento, do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

No pleito de outubro de 2006, Paulo Hartung foi reeleito governador e Ricardo Ferraço elegeu-se vice-governador do estado. Acumulou essas funções coma as de secretário de Transportes e Obras Públicas (Setop) e de coordenador da área de Gerenciamento de Projetos do Governo do Estado. Na Setop, destacaram-se as seguintes ações: aumento da fiscalização das vias de trânsito; implantação das campanhas Madrugada Viva, Praia Viva eVida Urgente; retomada do sistema aquaviário; renovação da frota do programa de investimentos em Transporte Coletivo e na Circulação Urbana da Região Metropolitana da Grande Vitória (TRANSCOL) e a criação de corredores exclusivos para o transporte coletivo.

Em 2007, criou a Secretaria Extraordinária para Combate à Pobreza. Durante o seu mandato como vice-governador combateu à sonegação, à corrupção, o crime organizado, a crise ética e moral; promoveu a reconstrução da capacidade gerencial da cidade; realizou um ajuste fiscal e um planejamento de longo prazo para o estado do Espírito Santo, chamado de projeto ES 2025.

Em novembro de 2008, coordenou uma missão formada por vinte representantes de setores da indústria, agricultura, transportes, do Judiciário, Legislativo e da Igreja Católica, com o intuito de visitar as empresas do Grupo Baosteel, na China.

Em fevereiro de 2009 deixou a Setop, e em abril assumiu o cargo de coordenador do Programa Capixaba de Investimentos Públicos e Empregos.

Foi também diretor da empresa Granbrasil.

FONTES: Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (ALES). Notícias (17/11/2003, 08/03/2004, 05/05/2005, 31/10/2005, 20/08/2009, 23/03/2009); Câmara dos Deputados; Folha do Espírito Santo (23/06/2005, 18/2/2009); Governo do Estado do Espírito Santo; Ministério do Planejamento e Orçamento; Vida Brasil (15/02/2002).

 

 

 

 

 


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados