Francisco Everardo Oliveira Silva

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TIRIRICA
Nome Completo: Francisco Everardo Oliveira Silva

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

TIRIRICA

*dep. fed. SP 2011-2015

 

Francisco Everardo Oliveira Silva nasceu em Itapipoca (CE) no dia 1º de maio de 1965, filho de Fernando Oliveira Silva e Maria Alice da Silva.

Humorista, ganhou o apelido Tiririca ainda criança. Aos 8 anos começou a trabalhar no circo de sua cidade natal. Com o tempo foi ganhando destaque e levou suas apresentações do interior do Nordeste para Fortaleza e Região Metropolitana. Ganhou maior repercussão a partir de 1997, quando lançado seu o seu primeiro CD, intitulado Florentina, cuja música de mesmo nome fez grande sucesso no país na década de 90 e levou o disco a atingir índices recordes de vendagem. Após a repercussão de sua primeira gravação, participou de diversos programas televisivos, que possibilitaram, posteriormente, o lançamento de outros três CDs.

Trabalhou também na Rede Manchete, onde apresentou um programa infantil, e, após isso foi contratado pela Rede Record como humorista fixo do elenco da emissora, com uma passagem, neste período, pelo SBT.

Passou a vislumbrar a possibilidade de atuação política a partir de 2009, quando filiou-se ao Partido da República (PR). Com o slogan “Pior do que tá não fica”, concorreu a uma vaga de deputado federal por São Paulo no pleito de Outubro de 2010. Atingiu grande repercussão e foi o deputado federal mais votado do Brasil, com 1.348.295 votos recebidos. Com a votação expressiva, elevou ao quociente eleitoral e conseguiu eleger outros três deputados de sua coligação: Otoniel Lima, do Partido Republicano Brasileiro (PRB), Vanderlei Siraque, do Partido dos Trabalhadores (PT) e o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Não obstante a discussão acerca do quociente eleitoral, que o levou a ser considerado mero ‘puxador de votos’ de sua legenda, a eleição de Tiririca gerou grande polêmica devido à acusação de que seria analfabeto e que, portanto, não poderia assumir o cargo na Câmara. À época, foi aberto um processo requerendo a apresentação de declarações originais relativa à alfabetização e pôde então, foi absolvido e pôde dar continuidade à sua carreira no Legislativo.

Empossado na legislatura iniciada em Fevereiro de 2011, assumiu condição de titular na Comissão de Educação e na Comissão de Turismo e Desporto. No ano seguinte, esteve presente em todas as 171 sessões destinadas à votação na Câmara, fato ressaltado pela cobertura midiática. Entre os projetos de lei que apresentou, constam: proposta denominada ‘bolsa-alfabetização’, por contemplar com benefícios do governo analfabetos com mais de 18 anos de idade; e, também requerimento de inclusão de famílias que exercem atividades circenses nos programas sociais do governo federal.

Publicou, na condição de coautor, e em seu campo de atuação profissional original, o livro As piadas fantárdigas do Tiririca (2006).

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.leg.br/>. Acesso em 21/11/2013; Portal Folha de S. Paulo. Disponível em: <http://wwwfolha.uol.com.br/>. Acesso em 21/11/2013; Portal do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. Disponível em: <http://www.tre-sp.jus.br/>. Acesso em 21/11/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 21/11/2013.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados