Francisco Rommel Feijó de Sá

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FEIJÓ, Rommel
Nome Completo: Francisco Rommel Feijó de Sá

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

FEIJÓ, Rommel

*dep. fed. CE 1995-1999, 1999-2003, 2003-2004

 

 

Francisco Rommel Feijó de Sá nasceu em Juazeiro do Norte (CE) no dia 8 de fevereiro de 1953, filho de José Feijó de Sá e de Maria Celina Calou de Sá.

Graduou-se em administração de empresas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Recife em 1974, ao mesmo tempo em que cursava medicina na Fundação de Ensino Superior de Pernambuco (FESP), nesta mesma capital. Em 1978, concluiu o curso de medicina e, no ano seguinte, transferiu-se para o Rio de Janeiro, a fim de realizar residência médica em oncologia no Instituto Mário Kroef. Ainda em 1979, iniciou curso de especialização em administração hospitalar na PUC. Em 1980, foi presidente da Associação dos Internos do Hospital Mário Kroef e em 1981 concluiu sua residência médica e a especialização na PUC.

De volta ao Ceará, ainda em 1981, tornou-se médico do Hospital São Vicente de Paulo, em Barbalha. No ano seguinte, tornou-se médico do trabalho da Ibacip — Indústria Barbalhense de Cimento Portland deste município, permanecendo nesta função até 1982. Delegado regional de saúde da 5ª Delegacia, sediada em Juazeiro do Norte, entre 1983 e 1986, filiou-se, neste último ano, à legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), vindo a tornar-se delegado à convenção estadual deste partido.

Nas eleições municipais de novembro de 1988, disputou, na legenda do PMDB, a prefeitura de Barbalha. Eleito, iniciou o mandato em fevereiro do ano seguinte. Ainda em 1989, filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em 1990, tornou-se delegado à convenção nacional do PSDB. Encerrou seu mandato na prefeitura em dezembro de 1992, assumindo, nesse mesmo ano, a presidência de seu partido no município.

No pleito de outubro de 1994, concorreu a uma vaga pelo Ceará na Câmara dos Deputados, pela legenda do PSDB. Vitorioso, tendo como base eleitoral a região do Cariri, tomou posse em fevereiro de 1995, integrando a Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática. Mostrou-se simpático ao projeto do governo Fernando Henrique Cardoso ao votar a favor da quebra do monopólio do gás canalizado, da navegação de cabotagem, das telecomunicações e do petróleo, da criação do Fundo Social de Emergência (FSE) e da redefinição do conceito de empresa nacional — todas aprovadas pela Câmara dos Deputados.

Vice-líder do PSDB na Câmara e integrante das comissões de Seguridade Social e Família e Defesa Nacional, votou, em 1996, a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), aprovada pela Câmara.

Membro da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, manifestou-se, em novembro de 1997, a favor da emenda que propunha reeleição para os cargos do Executivo e da manutenção no texto da reforma administrativa do fim da estabilidade dos servidores públicos — ambas aprovadas pela Câmara.

Concorreu à reeleição no pleito de outubro de 1998, pela legenda do PSDB, agora em coligação com o Partido Popular Socialista (PPS) e o Partido Social Democrático (PSD), obtendo sucesso. Em novembro seguinte, votou a favor do estabelecimento de um limite para a aposentadoria no setor público e de idade mínima e tempo de contribuição para aposentadoria no setor privado. Iniciou novo mandato na Câmara dos Deputados em janeiro de 1999.

Reelegeu-se para a Câmara nas eleições de 2002. No primeiro ano do novo mandato, iniciado a fevereiro de 2003, transferiu-se para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), e por esta legenda concorreu com sucesso ao cargo de prefeito de Barbalha nas eleições de 2004. Renunciou então ao cargo federal ao findar-se aquele ano, tomando posse da prefeitura do município cearense em 1º de janeiro de 2005.

No pleito municipal de 2008, tentou a reeleição para a prefeitura, mas não obteve êxito.

Em 2011, desfiliou-se do PTB e regressou ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), mas não voltou a disputar cargos eletivos.

Casou-se com Maria Iacê Carleial Feijó de Sá, com quem teve três filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Jornal Estado de S. Paulo (28/11/1997); Jornal Folha de S. Paulo (31/01/1995, 14/01/1996, 30/01/1997, 29/09/1998 e 06/11/98); Jornal O Globo (29/08/1996); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/>. Acesso em 17/07/2009; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.gov.br>. Acesso em 17/07/2009 e 09/08/2013.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados