FRANCISCO THOMPSON FLORES NETO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FLORES, Francisco Thompson (2)
Nome Completo: FRANCISCO THOMPSON FLORES NETO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FLORES, FRANCISCO THOMPSON (2)

FLORES, Francisco Thompson (2)

*diplomata; emb. Bras. Argentina 1988-1992; emb. Bras. Alemanha 1992-1995.

Francisco Thompson Flores Neto nasceu em Bruxelas (Bélgica) no dia 17 de fevereiro de 1937, cidadão brasileiro de acordo com o artigo 129, inciso II, da Constituição de 1946, filho de Carlos Martins Thompson Flores e Rita Martins Thompson Flores. Seu pai, também diplomata, foi embaixador do Brasil na Itália entre 1968 e 1973.

Bacharel em filosofia pela Universidade de Poitiers (França) em 1956, formou-se no curso de preparação à carreira de diplomata do Instituto Rio Branco (IRBr), foi nomeado cônsul de terceira classe em janeiro de 1959 e serviu na Secretaria de Estado das Relações Exteriores (SERE), então funcionando no Palácio Itamarati do Rio de Janeiro, como oficial-de-gabinete e introdutor diplomático adjunto do ministro das Relações Exteriores, embaixador Horácio Lafer até 1960. Designado para servir na embaixada em Londres em 1961, foi promovido por merecimento a segundo secretário em outubro do mesmo ano, tendo seguido curso de economia na School of Economics (1963) e permanecido na Inglaterra até 1964. Transferido para a missão brasileira junto à Comunidade Econômica Européia (CEE) em Bruxelas, ocupou o cargo de encarregado de negócios em 1964, 1966 e 1967, sendo promovido por merecimento, em março deste último ano, a primeiro secretário. Nesse cargo participou da reunião de chefes de missões latino-americanas acreditados junto à CEE (Estrasburgo, França, 1964), da reunião do Comitê Consultivo do Cacau da Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Comércio e Desenvolvimento (Nova Iorque, 1966) e da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) sobre Cacau (Genebra, 1967).

Retornou à SERE naquele ano como assistente do chefe da Divisão de Produtos de Base e, de 1969 a 1970, seria auxiliar do secretário-geral adjunto para assuntos econômicos. Nesse período compareceu a diversas reuniões internacionais sobre comércio de cacau, destacando-se as IX, X, XII, XIII e XV sessões da Assembléia da Aliança de Produtores de Cacau (Lomé, Lagos, Acra, Iaundê e Brasília), as XXIV e XXV sessões do Comitê de Estatística do Grupo de Estudos sobre Cacau da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) (Roma, 1969) e a reunião do Comitê Consultivo da UNCTAD sobre Cacau (Genebra, 1970).

Enviado para servir na embaixada em Washington em 1971, lá permaneceu até 1976, tendo sido promovido por merecimento a conselheiro em janeiro de 1973. Nessa função participou das reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD, ou Banco Mundial) de 1971 a 1974, de reuniões de consulta do Acordo de Têxteis de Algodão Brasil-Estados Unidos (1972), da XXXI Reunião Plenária do Comitê Consultivo Internacional do Algodão, como chefe de missão (Manágua, 1972), das reuniões de chanceleres do continente (Washington e Cidade do México, ambas em 1974) e da reunião de coordenação dos países latino-americanos exportadores de têxteis (Bogotá, 1975).

Assumiu em 1976 a chefia da Divisão de Informação Comercial que exerceu até 1977, quando foi promovido por merecimento a ministro de segunda classe, e em 1978 passou a chefiar a Divisão de Operações de Promoção Comercial. De 1979 a 1983 ficou agregado à disposição do Ministério da Agricultura, onde era o coordenador de assuntos internacionais de agricultura, tendo chefiado missões à XIV Conferência Regional da FAO para a América Latina (Havana, Cuba, 1980), à I Reunião da Junta Interamericana de Agricultura (São José da Costa Rica, 1981), à II Reunião Ordinária do Comitê Executivo e à II Reunião Ordinária da Junta Interamericana de Agricultura (Buenos Aires, 1981), à reunião ministerial da Aliança dos Países Produtores de Cacau (Duala, Camarões, 1983) e à reunião do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) (Roma, 1983), entre outras.

Promovido por merecimento a ministro de primeira classe em dezembro de 1981, retornou à SERE em 1984 para chefiar o Departamento de Promoção Comercial até assumir a Subsecretaria Geral de Assuntos Econômicos em 1985. Chefiou as delegações do Brasil à reunião para o reexame das relações comerciais e financeiras Brasil-Argentina (Buenos Aires, 1985), à reunião técnica do Grupo de Cartagena (Montevidéu, 1985), à XV Comissão Mista Teuto-Brasileira de Cooperação Científica e Tecnológica (Berlim, 1986) e à reunião do Grupo Informal de Cairns (Ottawa, 1987), entre outras. Foi nomeado embaixador na Argentina em 1988, sucedendo ao embaixador João Hermes Pereira de Araújo, posto que ocupou até 1992, quando foi sucedido pelo embaixador Marcos de Azambuja. Ainda em 1988, integrou a comitiva do presidente Raul Alfonsín na visita ao Brasil.

Transferido em 1992 para Bonn, sucedendo a João Carlos Pessoa Fragoso, permaneceu à frente da representação brasileira na capital alemã até 1995, quando foi substituído por Roberto Abdenur. Nessa ocasião, foi removido para Roma como embaixador junto à Santa Sé.

Casou-se com Ana Maria Massot Thompson Flores, com quem teve duas filhas.

FONTE: MIN. REL. EXT. Anuário (1983, 1992).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados