Jaqueline Maria Roriz

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RORIZ, Jaqueline
Nome Completo: Jaqueline Maria Roriz

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

RORIZ, Jaqueline

*dep. fed. DF 2011-      

 

Jaqueline Maria Roriz nasceu em Luziânia (GO) no dia 18 de agosto de 1962, filha de Wesliam Perpétuo Socorro Peles Roriz e Joaquim Domingos Roriz, que foi senador e governador do Distrito Federal por quatro mandatos.

Ingressou em 1981 no Centro Unificado de Brasília (CEUB), formando-se em pedagogia no ano de 1984. Atuou como professora do ensino fundamental nos dois anos seguintes. Nos anos 1990, morou da cidade de Filadélfia, nos Estados Unidos, onde estudou inglês na Universidade da Pensilvânia. De volta ao Brasil, depois de morar mais de dez anos no exterior, tornou-se empresária e administradora no ramo agropecuário em 2001.

Jaqueline Roriz filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) em 2005, legenda pela qual concorreu ao cargo de deputada distrital no ano seguinte. Eleita, cumpriu o mandato até o final, mas em 2009 trocou o PSDB pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN). Pelo PMN, foi candidata à Câmara Federal em 2010, tendo a terceira maior votação no DF. Assumindo a cadeira em 2011, atuou, ao longo do mandato, como titular na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e como suplente nas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, e na de Trabalho, de Administração e Serviço Público, dentre outras atribuições.

Em março de 2011, o jornal Estado de São Paulo denunciou, através de vídeo, que a deputada Jaqueline Roriz teria recebido 80 mil reais de forma ilegal, em 2006, quando era candidata à Câmara Distrital. O vídeo, gravado por Durval Barbosa, então secretário de governo de Maria Abadia (PSDB) no Distrito Federal, fez parte de uma série de delações que ficaram conhecidas como “Mensalão do DEM”, em relação às denúncias de corrupção envolvendo o governo de José Roberto Arruda, filiado ao Democratas (DEM), que derrotara Abadia nas eleições de 2006. Em junho de 2011, o Conselho de Ética da Câmara aprovou um relatório pedindo a cassação de seu mandato por quebra de decoro parlamentar. No entanto, em agosto do mesmo ano, o pedido foi rejeitado pelo plenário da Câmara, em votação secreta, por 265 votos contra 166 favoráveis à cassação, e 20 abstenções. Em 2012, em que pesem as denúncias que a envolveram, Jaqueline Roriz presidiu a Frente Parlamentar de Incentivo ao Desenvolvimento Socioeconômico da Região do Entorno do Distrito Federal.

Devido ao processo aberto pelas denúncias do Mensalão do DEM, foi condenada, em dezembro de 2013, pela Justiça do Distrito Federal, por improbidade administrativa. Nas eleições de 2014, tentou candidatar-se à reeleição para a Câmara Federal pelo PMN, mas teve o registro cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa. Ao final desse ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) por prática de peculato, ainda referente ao caso de 2006. Em 2015, foi novamente condenada, agora por uma denúncia do MPF contra o então governador do DF, Joaquim Roriz, que teria facilitado empréstimos do Banco de Brasília (BRB) à construtora WRJ Engenharia, em troca de apartamentos para sua família, incluindo Jaqueline e suas irmãs.

É casada com o empresário Manoel Costa de Oliveira Neto, com quem tem dois filhos.

 

Lucas von der Weid

 

FONTES: Portal Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 03/08/2015; Portal Correio Braziliense. Disponível em: <http://www.correiobraziliense.com.br>. Acesso em 03/08/2015; Portal Estado de S. Paulo. Disponível em: <http://www.estadao.com.br>. Acesso em 03/08/2015; Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://g1.globo.com/index.html>. Acesso em 03/08/2015; Portal Gazeta do Povo. Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br>. Acesso em 03/08/2015; Portal Ministério Público Federal. Disponível em: <http://www.pgr.mpf.mp.br/>. Acesso em 03/08/2015; Portal Veja.com. Disponível em: <http://veja.abril.com.br>. Acesso em 03/08/2015.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados