JARDIM, Arnaldo

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: JARDIM, Arnaldo
Nome Completo: JARDIM, Arnaldo

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
www2

JARDIM, Arnaldo

* dep. fed. SP 2007 -

 

Arnaldo Calil Pereira Jardim nasceu em Altinópolis (SP) no dia 8 de maio de 1955, filho de Aluísio Arnaldo Pereira Jardim e de Diana Calil Jardim.

Cursou engenharia civil na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), formando-se em 1978. Foi diretor do Diretório Central dos Estudantes da USP e da União Estadual dos Estudantes em São Paulo. Foi também membro da Ação Popular Marxista-Leninista, formada quando a Ação Popular (AP), oriunda da Juventude Universitária Católica (JUC), já havia aderido ao marxismo-leninismo.

Em 1982 trabalhou na campanha que elegeu o candidato do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) Franco Montoro governador de São Paulo, na primeira eleição direta para governos estaduais desde 1965. Em 1986 foi eleito pela primeira vez deputado estadual, para a legislatura 1987-1991. Reeleito em 1990, no segundo mandato exerceu a função de líder do governo e do PMDB na Assembleia Legislativa. Em 1992, no governo de Luís Antônio Fleury Filho, licenciou-se e assumiu a Secretaria de Habitação do estado de São Paulo, onde ficou até 1993. No ano seguinte candidatou-se a vice-governador na legenda do PMDB na chapa encabeçada por Barros Munhoz, que foi derrotada.

Em 1998 elegeu-se mais uma vez deputado estadual, com 45.044 votos. Iniciou novo mandato em 1999 e nesse mesmo ano trocou o PMDB pelo Partido Popular Socialista (PPS). Foi então relator geral do Fórum São Paulo Século XXI – projeto para o desenvolvimento de São Paulo – e da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Combustíveis, que investigou a máfia dos combustíveis adulterados. Presidiu a Comissão de Assuntos Internacionais e foi membro das comissões de Transportes e de Cultura, Ciência e Tecnologia. Também foi suplente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar e autor da emenda constitucional que punha fim à "impunidade parlamentar", restringindo-a apenas aos chamados "crimes de opinião". Além disso, participou do I Encontro Interparlamentar do Mercosul, em Buenos Aires.

Em 2002, foi reeleito deputado estadual na legenda do PPS, com 76.708 votos. Em 2003 foi indicado líder da bancada do partido na Assembleia, e processou Paulo Maluf por difamação. O ex-prefeito teria dito, em entrevista publicada no Diário da Região, de São José do Rio Preto, e ao site Diarioweb.com.br., que "a bancada do PPS na Assembleia Legislativa, partido do prefeito, recebe 'mesada' do governador Geraldo Alckmin, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) para apoiá-lo". Jardim seria, segundo Maluf, o intermediário do esquema. O ex-prefeito foi condenado a indenizar o deputado em 200 salários mínimos por danos morais.

Em 2004, foi indicado pré-candidato à prefeitura de São Paulo, tendo Romeu Tuma Jr. como vice. Em 14 de junho teve sua candidatura confirmada, mas dias depois a retirou para declarar apoio ao tucano José Serra.

Em 2006, sempre na legenda do PPS, elegeu-se deputado federal por São Paulo com 187.427 votos, e em fevereiro de 2007 assumiu o mandato na Câmara dos Deputados. Foi membro titular da Comissão de Minas e Energia e integrou, como suplente, as comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; de Constituição e Justiça e de Cidadania; de Desenvolvimento Urbano; de Finanças e Tributação; de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, e de Viação e Transportes. Participou ainda de várias comissões especiais e tornou-se membro da Frente Parlamentar Anticorrupção, criada em fevereiro de 2009 para combater atos de corrupção nos três poderes e composta por deputados e senadores de vários partidos. Em agosto de 2009 foi convidado pelo presidente da Câmara, deputado Michel Temer, para presidir a comissão especial encarregada de estudar o Projeto de Lei 5.941, um dos quatro projetos de exploração do petróleo na região do pré-sal, analisando a possibilidade de ceder áreas não licitadas do pré-sal à Petrobras por tempo determinado.

Casado com Helena Gasparian, diplomata e historiadora, teve três filhos.

Fabiane Popinigis

Fontes:

Câmara dos Deputados: <http://www2.camara.gov.br/internet/deputados/biodeputado/index.html?nome=ARNALDO+JARDIM&leg=53>, acessado em 18/11/2009.

 

Guerreiro, Gabriela e Giraldi, Renata; Parlamentares criam frente para combater corrupção nos três poderes, Folha Online, <http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u510337.shtml>, acessado em 18/11/2009.

 

Especial eleições 2006, Folha Online: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-2345.shtml>, acessado em 18/11/2009.

 

Justiça manda Maluf pagar R$ 48 mil para deputado por danos morais, Consultor Jurídico, 15/08/2003: <http://www.conjur.com.br/2003-ago-15/maluf_condenado_indenizar_deputado_pps_danos>, acessado em 18/11/2009.

 

Temer anuncia presidentes e relatores do pré-sal, Correio Brasileinese, 08/09/2009: <http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2009/09/08/politica,i=140810/TEMER+ANUNCIA+PRESIDENTES+E+RELATORES+DOS+PROJETOS+DO+PRE+SAL.shtml>, acessado em 18/11/2009.

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados