José Arnon Cruz Bezerra de Meneses

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BEZERRA, Arnon
Nome Completo: José Arnon Cruz Bezerra de Meneses

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BEZERRA, Aron

BEZERRA, Arnon

*dep. fed. CE 1995-1999, 1999-2003, 2003-2007, 2007-2011, 2011-

 

 

  José Arnon Cruz Bezerra de Meneses nasceu em Crato (CE), no dia 13 de agosto de 1951, filho de Leandro Bezerra de Menezes e de Maria La Salete Cruz Bezerra.

Médico formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 1979, especializou-se em cirurgia geral, depois de fazer residência médica no hospital Ana Néri em Salvador, concluída em 1981.

Secretário municipal de Saúde em Juazeiro do Norte (CE) entre 1983 e 1988, neste último ano filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL). Nas eleições de outubro de 1990, concorreu a uma cadeira de deputado estadual no Ceará. Eleito, iniciou seu mandato em fevereiro do ano seguinte. Entre 1991 e 1992, foi titular da Comissão de Educação, da Comissão de Saúde, vice-presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas e suplente da Comissão de Defesa do Consumidor. Entre 1991 e 1994, foi suplente da Comissão de Constituição e Justiça.

Em 1994, deixou o PFL para ingressar no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), legenda pela qual disputou uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições de outubro daquele ano. Eleito, tendo como base eleitoral a região do Cariri, tomou posse em fevereiro do ano seguinte, iniciando seu mandato de deputado federal. Integrante da Comissão de Seguridade Social e Família, mostrou-se simpático ao projeto de reformas do governo Fernando Henrique Cardoso ao votar, ao longo de 1995, a favor da quebra dos monopólios estatal das telecomunicações, da Petrobrás na exploração do petróleo e dos governos estaduais na distribuição do gás canalizado, da permissão para embarcações estrangeiras operarem no transporte de carga e passageiros entre portos do país, do fim das diferenciações legais entre empresas nacionais e estrangeiras e da criação do Fundo Social de Emergência (FSE), que permitia ao governo gastar 20% da arrecadação de impostos sem destiná-los obrigatoriamente aos setores de saúde e educação. Todas as propostas foram aprovadas pela Câmara dos Deputados.

Integrou a lista dos deputados faltosos que trocaram o plenário da Câmara pela campanha política em seus respectivos municípios. Disputou, no pleito de outubro de 1996, a Prefeitura de Juazeiro do Norte na legenda do PSDB, mas não conseguiu eleger-se.

Segundo vice-presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e membro da Comissão de Agricultura e Política Rural, votou, em 1996, a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) – fixada em 0,2% como fonte complementar de recursos para a saúde – aprovada pela Câmara dos Deputados.

Membro das comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional (1997), de Agricultura e Política Rural (1998) e de Seguridade Social e Família (1998), Arnon Bezerra votou a favor da emenda que propunha reeleição para os cargos do Executivo e do fim da estabilidade para os servidores públicos, ambas aprovadas pela Câmara dos Deputados.

No pleito de outubro de 1998, concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados pela legenda do PSDB, na coligação formada com o Partido Popular Socialista (PPS) e o Partido Social Democrático (PSD), obtendo sucesso. Em novembro seguinte, votou a favor do estabelecimento de limite para aposentadoria no setor público e de idade mínima e tempo de contribuição para aposentadoria no setor privado.

Iniciou novo mandato na Câmara dos Deputados em janeiro de 1999. Na nova legislatura, posicionou-se favoravelmente à Lei de Responsabilidade Fiscal, que, publicada em Maio de 2000, passou a estabelecer um mecanismo de controle prévio para a execução dos orçamentos de todas as esferas da federação. Nas eleições realizadas em Outubro de 2002, foi reeleito deputado federal com 82 mil votos, tendo assumido novo mandato em Fevereiro de 2003. Em Agosto do mesmo ano, votou a favor da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo Governo Luís Inácio Lula da Silva (2003-2010), aprovada em dois turnos no Congresso e encaminhada ao Senado Federal.  Ainda em 2003, desfiliou-se do PSDB e, em seguida, migrou para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Como parte de suas atividades parlamentares, chegou à vice-presidência da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional.

Concorreu a mais um mandato nas eleições de Outubro de 2006, desta vez pelo PTB. Na ocasião, obteve mais de 120 mil votos, que o reelegeram para o mandato no qual foi empossado em Fevereiro seguinte.  No segundo semestre de 2007, durante a conturbada votação pela permanência CPMF, votou favoravelmente à prorrogação do tributo até 2011.

Em Outubro de 2010, disputou novamente as eleições para deputado federal, tendo recebido mais de 100 mil votos, que o reelegeram. Na nova legislatura, iniciada em Fevereiro de 2011, integrou novamente a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN), além de ter atuado como titular na Comissão de Turismo (CTUR) e, posteriormente, na Comissão de Esportes (CESPO).

Casou-se com Esmeralda Geromel Bezerra de Menezes com quem teve quatro filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1991); Folha de São Paulo (31/1/95, 14/1/96, 30/1/97, 29/9 e 6/11/98); Jornal do Brasil (4/6/96); TRIB. SUP. ELEIT. Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 11/04/2014; Portal Congresso em Foco. Disponível em: <http://congressoemfoco.uol.com.br>. Acesso em 11/04/2014; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 11/04/2014.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados