José Elito Carvalho Siqueira

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SIQUEIRA, José Elito Carvalho
Nome Completo: José Elito Carvalho Siqueira

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

SIQUEIRA, José Elito Carvalho

*min. chefe do gab. seg. inst. 2011-      

 

José Elito Carvalho Siqueira nasceu em Aracaju (SE) no dia 26 de novembro de 1946, filho de José Siqueira Aguiar e Ana de Carvalho Aguiar.

Alistou-se ao Exército em Abril de 1964, quando ingressou na Escola preparatória  sediada em Campinas. Cinco anos depois, tornou-se Aspirante a Oficial da Infantaria pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Concluiu a Formação de Oficiais de Infantaria e participou de diversos cursos de salto e paraquedismo que lhe possibilitaram o exercício da função de instrutor na Academia Militar das Agulhas Negras, e, posteriormente, da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e também da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Entre 2002 e 2004, foi diretor de Recursos Humanos do Exército. Promovido a general em 2007, foi comandante da Força de Paz designada pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), cuja liderança ficou sob incumbência das tropas brasileiras. De volta ao Brasil, assumiu a função de Comandante Militar da Região Sul do País até Dezembro de 2008, quando empossado na Secretaria de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia (Selom), do Ministério da Defesa.  Em maio de 2009, passou a  Chefe do Estado-Maior de Defesa.

Com a eleição de Dilma Rousseff para a Presidência da República em Outubro do ano seguinte, foi anunciado como integrante da equipe ministerial da mandatária, na condição de ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), tendo ambos sido empossados em Janeiro de 2011. Na cerimônia de posse enquanto ministro, quando suscitado o tema de uma eventual revisão da Lei de Anistia, referentes às violações de direitos, desaparecimentos, mortes e assassinatos ocorridos durante a ditadura militar, declarou se tratar de “fato histórico do qual não temos que nos envergonhar ou vangloriar” . Em meio ao contexto de criação de uma Comissão da Verdade para apurar tais eventos, e pelo trajetória militante da então presidente, o ministro foi interpelado e alegou ter sido mal interpretado.

Em 2013, uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo apurou que o GSI teria solicitado à Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) um monitoramento de mobilizações sindicais contrárias a uma Medida Provisória que modificaria as prerrogativas de licitação de terminais de cargas em regiões portuárias.  A suposta operação levantou questionamentos, entretanto, durante sessão de uma Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência, o ministro negou a ocorrência de infiltrações para monitorar lideranças sindicais.

Com a reeleição da presidente em Outubro de 2014, teve anunciada sua permanência na função de ministro do GSI.

Casou-se com Maria das Graças Cintra Siqueira com quem teve dois filhos.

Em sua trajetória como militar, recebeu 33 condecorações nacionais, dentre as quais se destacam a Ordem do Rio Branco e as Ordens do Mérito da Defesa, Marinha, Exército, Aeronáutica, Judiciário Militar e do Ministério Público Militar. Entre outras, foi agraciado ainda com oito condecorações estrangeiras, com destaque para a da Organização das Nações Unidas, devido aos serviços prestados em Missão de Paz.

 

Elizabeth Dezouzart Cardoso/Jean Spritzer

 

FONTES: Portal do Gabinete de Segurança Institucional. Disponível em: <www.gsi.gov.br/>. Acesso em: 27/07/2015; Portal G1 de Notícias. Disponível em: <g1.globo.com>. Acesso em: 27/07/2015; Portal do jornal Gazeta do Povo. Disponíveç em: <http://www.gazetadopovo.com.br/>. Acesso em 21/08/2015; Portal do jornal O Estado de S. Paulo. Disponível em: <http://www.estadao.com.br/>. Acesso em 21/08/2015. 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados