JOSE LOPES DE SIQUEIRA SANTOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LOPES, José
Nome Completo: JOSE LOPES DE SIQUEIRA SANTOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LOPES, JOSÉ

LOPES, José

*dep. fed. PE 1955-1963.

 

José Lopes de Siqueira Santos nasceu no engenho Bastiós, em Ribeirão (PE) no dia 13 de março de 1914, filho de João Lopes de Siqueira Santos e de Benvinda de Siqueira Santos.

Estudou no Colégio Salesiano, bacharelando-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Recife, em 1937.

No pleito de outubro de 1954 elegeu-se deputado federal por Pernambuco na legenda da União Democrática Nacional (UDN), assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte. Usineiro e pecuarista, já em 1955 era diretor-gerente das usinas Caxangá, Bamburrai e Estreliana — todas de propriedade da família Siqueira há mais de um século —, além de diretor-presidente da usina Bom Jesus.

Deixando a UDN, ingressou depois no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e reelegeu-se em outubro de 1958 com o apoio do Movimento Popular Autonomista, coligação formada pelo PTB e o Partido Social Trabalhista (PST). Conforme declarou ao jornal Correio Brasiliense em julho de 1962, não abandonou a UDN por questões ideológicas, pois era ele próprio elemento das classes produtoras representadas por esse partido. Afirmando-se um “petebista de direita”, tornou-se intransigente adversário dos comunistas, tendo pertencido à Ação Democrática Parlamentar, bloco interpartidário surgido no primeiro semestre de 1961 com o objetivo de combater a infiltração comunista na sociedade brasileira. Esse grupo — constituído basicamente de parlamentares da UDN e, em segundo plano, do Partido Social Democrático (PSD) — opunha-se ao governo do presidente João Goulart (1961-1964), sendo dissolvido após o movimento político-militar de março de 1964. Ainda segundo o Correio Brasiliense, confiava na Aliança para o Progresso e na cooperação norte-americana, discordando da política externa adotada pelo governo Goulart. Era favorável a uma reforma agrária que implicasse a manutenção do direito de propriedade, explorando-se a terra por processos modernos, capazes de aumentar a produtividade nos mesmos termos de uma exploração industrial.

No pleito de outubro de 1962 tentou a reeleição, dessa vez na legenda da Frente Popular Democrática, formada pela UDN e o PSD, mas obteve apenas uma suplência. Em janeiro de 1963 encerrou seu mandato, não voltando a disputar eleições e passando a dedicar-se exclusivamente a seus negócios na agroindústria canavieira.

Faleceu em Recife no dia 10 de julho de 1981.

Era casado com Maria dos Anjos Lima Lapa de Siqueira Santos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; CAMPOS, Q. Fichário; INF. João Lopes de Siqueira Santos; SOARES, E. Instituições; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (6).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados