JOSE NOGUEIRA TAPETI JUNIOR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TAPETI JÚNIOR
Nome Completo: JOSE NOGUEIRA TAPETI JUNIOR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TAPETI JÚNIOR

TAPETY JÚNIOR

*dep. fed. PI 1983-1987.

 

José Nogueira Tapety Júnior nasceu em Oeiras (PI) no dia 14 de janeiro de 1933, filho de José Nogueira Tapety e de Maria Salomé de Freitas Tapety. Seu irmão Juarez Piauiense de Freitas Tapety foi vereador de Oeiras em 1958, prefeito eleito em 1962 e em 1970, deputado estadual de 1967 a 1995, secretário de Segurança Pública de 1995 a 1999 e secretário de Governo de 1999 a 2001. Seus sobrinhos, José Nogueira Tapety Neto e Mauro Tapety, foram, respectivamente, prefeito de Oeiras de 2001 a 2007 e deputado estadual a partir de 1999.

Médico graduado pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco, trabalhou no Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), na Fundação Hospitalar do Distrito Federal, no Hospital Getúlio Vargas, em Teresina, e na unidade de cirurgia da Fundação Serviço Especial de Saúde Pública (FSESP) do Ministério da Saúde, no Piauí. Exerceu também os cargos de chefe da unidade sanitária da FSESP em Campo Maior (PI) e de supervisor-médico em seu estado. Foi ainda médico assessor de saúde pública da Secretaria de Saúde e diretor do Hospital Regional de Taguatinga, em Brasília. Especializou-se em saúde pública na Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro, em pediatria no Hospital de Base do Distrito Federal e em administração escolar no Instituto São Camilo, em São Paulo.

Ingressou na política filiando-se ao Partido Democrático Social (PDS). Nessa legenda, elegeu-se deputado federal pelo Piauí no pleito de novembro de 1982, assumindo sua cadeira na Câmara dos Deputados em fevereiro do ano seguinte. Tornou-se então membro titular da Comissão de Saúde e suplente da Comissão do Interior. Ainda no início da legislatura, o deputado mato-grossense Dante de Oliveira, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), apresentou na Câmara um projeto de emenda constitucional que restabelecia eleições diretas para a presidência da República já no ano seguinte. O projeto desencadeou uma campanha nacional que ficou conhecida como Diretas Já. Na sessão da Câmara dos Deputados do dia 25 de abril de 1984, Tapety Júnior votou contra a emenda Dante de Oliveira, que não foi aprovada, fato que impediu o seu envio para apreciação do Senado. Com esse resultado, ficou definido que a sucessão presidencial se daria através de eleição indireta.

Vários eram os postulantes, dentro do PDS, à indicação para candidato oficial do partido. A falta de consenso quanto à forma como seria feita a escolha levou a uma cisão na agremiação, e os dissidentes formaram a Frente Liberal. Na convenção do PDS realizada em agosto, Tapety Júnior votou no então ministro do Interior Mário Andreazza, que foi derrotado pelo deputado Paulo Maluf, de São Paulo. Na mesma ocasião, o deputado cearense Flávio Marcílio derrotou o então governador de Alagoas e tornou-se o candidato a vice na chapa de Maluf. A derrota de Andreazza aumentou o contingente de dissidentes do PDS, entre os quais se incluiu Tapety Júnior, que aderiu à Frente Liberal.

Para concorrer com os candidatos governistas, os partidos de oposição, com exceção do Partido dos Trabalhadores (PT), liderados pelo PMDB, uniram-se à Frente Liberal na Aliança Democrática, e lançaram as candidaturas de Tancredo Neves, então governador de Minas Gerais, e José Sarney, então senador pelo Maranhão e ex-presidente do PDS, respectivamente à presidência e à vice-presidência da República. No Colégio Eleitoral reunido em 15 de janeiro de 1985, com voto favorável de Tapety Júnior, Tancredo Neves derrotou Paulo Maluf. A doença do presidente eleito impediu, porém, sua posse em 15 de março. Em seu lugar assumiu Sarney, que no mês seguinte foi efetivado, após a morte do titular.

Com a transformação, ainda em janeiro de 1985, da Frente Liberal no Partido da Frente Liberal (PFL), Tapety Júnior filiou-se a essa legenda. Nela concorreu a uma cadeira na Assembléia Nacional Constituinte no pleito de novembro de 1986 e obteve uma suplência. Permaneceu no exercício do mandato de deputado federal até o fim da legislatura, em janeiro do ano seguinte, quando deixou a Câmara. Em outubro de 2006 candidatou-se a deputado federal pelo estado do Piauí na legenda do Partido Trabalhista Democrático (PDT), mas não logrou êxito.

Casou-se com Valdália Reis de Freitas Tapety, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Globo (26/4/84 e 16/1/85); Portal TSE. Resultado eleição 2006. Disponível em : <http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/2006/ result_blank. html>. Acesso em : 04 set. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados