JOSE PIRES DE SABOIA FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SABÓIA, Pires
Nome Completo: JOSE PIRES DE SABOIA FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SABÓIA, PIRES

SABÓIA, Pires

*dep. fed. MA 1967-1975.

           

José Pires de Sabóia Filho nasceu em Independência (CE) no dia 16 de abril de 1916, filho de José Pires de Sabóia e de Maria Adélia Pires de Sabóia.

            Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito do Ceará em 1943. Advogado, foi ainda professor de direito, jornalista e escritor.

            No mesmo ano em que concluiu sua graduação, começou a exercer a função de repórter do Correio do Ceará, jornal integrante dos Diários Associados então a maior cadeia jornalística do Brasil. Em 1944, por indicação do jornalista João Calmon, transferiu-se para São Luís para dirigir as empresas maranhenses do grupo. Nesse mesmo ano, foi secretário de redação do Unitário, também pertencentes aos Diários Associados. Em pouco tempo, tornou-se diretor-geral de O Imparcial.

            No princípio da década de 1950, doutorou-se em direito com a tese Os efeitos da simulação nos atos jurídicos. Por esse motivo, em 1952, foi designado professor catedrático de direito civil na antiga Faculdade de Direito de São Luís, posteriormente incorporada à Universidade Federal do Maranhão.

            Sem deixar de trabalhar nos Diários Associados, elegeu-se em novembro de 1966 deputado federal por este estado, na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Assumiu sua cadeira em fevereiro de 1967 e em novembro de 1970 reelegeu-se, sempre na legenda da Arena. Neste seu segundo mandato foi membro efetivo da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e suplente das comissões de Constituição e Justiça e de Orçamento. Em 1973, diplomou-se na Escola Superior de Guerra, o que lhe propiciou viagens de estudo ao Japão, México e Coréia do Sul. Na Câmara dos Deputados, ocupou sua cadeira até janeiro de 1975, ano em que passou a desempenhar a função de secretário do Interior e Justiça do Maranhão no governo de Osvaldo da Costa Nunes Freire (1975-1978).

            Afastando-se da política, em 1980 tornou-se consultor jurídico dos Diários Associados, função que exerceu até a sua morte. Nessa frente de atuação, sua maior conquista viria 17 anos depois, quando venceu uma ação de perdas e danos contra a União, que resultou no fim das cassações impostas a seis concessões de rádio e televisão.

            Em 20 de dezembro de 1984, tomou posse como membro da Academia Maranhense de Letras (AML), vindo a ocupar a vaga do ex-governador maranhense Pedro Neiva de Santana.

            Foi idealizador da Fundação Senhor Pires (FSP), uma organização não governamental, localizada em Independência (CE), destinada principalmente a meninos e meninas carentes. Esta instituição foi criada em um terreno que lhe pertencia e a construção do prédio, que reúne uma escola de música, museu, biblioteca e uma escola de educação infantil, foi resultado de seu investimento financeiro. Nesta fundação, os idosos também foram beneficiados, com a instalação de um coral para a terceira idade.

            Trabalhou durante 20 anos como advogado do Banco do Brasil.

            Além da obra já citada, escreveu Notas de direito, Algumas crônicas da mocidade no Ceará, Lembranças de um advogado e o poema Farol de Mucuripe.

            Faleceu em São Paulo, no dia 19 de agosto de 2000.

            Era casado com Iracema Freitas Pires de Sabóia, com quem teve sete filhos. Um deles, Haroldo Sabóia, foi constituinte em 1987-1988 e deputado federal pelo Maranhão entre 1987 e 1995 e entre 1996 e 1999.

           

FONTES: Agência Senado (24/8/00); CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971 e 1971-1975); INF. Haroldo Sabóia; Perfil (1972 e 1975); Nossa Imprensa (11/8/09) O Povo (2/8/06); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8 e 9); www.adesg.org.br (Acesso em 18/9/09); www.independenciano.com.br (Acesso em 18/9/09); www.redealcar.jornalismo.ufsc.br (Acesso em 18/9/09); www.senado.gov.br (Sessão de 24/8/00. Acesso em 18/9/09).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados