KERTZMANN, MARCOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: KERTZMANN, Marcos
Nome Completo: KERTZMANN, MARCOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
KERTZMANN, Marcos [COMPLETAR]

KERTZMANN, Marcos 

* dep. fed. SP 1967-1969.

 

Marcos Kertzmann nasceu na cidade de São Paulo no dia 28 de julho de 1926, filho de Maurício Kertzmann e de Valentina Kertz­mann.

Fez os estudos secundários no Colégio Ipiranga e bacharelou-se em 1957 em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Advogado com atuação junto à colônia judaica de São Paulo, iniciou sua vida política elegendo-se vereador em outubro de 1963, pelo Movimento Trabalhista Renovador (MTR). Com a extinção dos partidos polí­ticos pelo Ato Institucional nº. 2, de 27 de  ou­tubro de 1965, e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), agremiação de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964.

Em novembro de 1966, elegeu-se deputa­do federal por São Paulo na legenda da Arena. Assumindo o mandato em fevereiro do ano se­guinte, apresentou nessa legislatura o projeto de criação da Atomobrás, que reservava ao Es­tado o monopólio da pesquisa, lavra e utiliza­ção para fins pacíficos dos minérios atômicos, e o de emenda constitucional que propunha o pluripartidarismo, com a fixação do máxi­mo de seis partidos e a proibição de coligações partidárias. Proferiu também vários discursos contra a infiltração estrangeira na imprensa, foi vice-presidente da Comissão de Finanças e participou da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados.

Foi, na mesma época, diretor das empresas M. Kertzmann Seguros e Engenharia e Construções Japurá, e ainda da Associação dos Co­merciantes e Industriais de Tecidos e Artefatos de São Paulo. Dirigiu também a livraria Ponto de Encontro e foi fundador da Editora Perspectiva.

Em janeiro de 1969, teve seu mandato cas­sado com base no Ato Institucional nº. 5, de 13 de dezembro de 1968, e os direitos polí­ticos suspensos por dez anos. Afastou-se en­tão da vida pública, até a decretação da anis­tia pelo presidente da República João Batista Figueiredo, em agosto de 1979.  Com a extin­ção do bipartidarismo em novembro deste ano e a conseqüente reformulação par­tidária, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasi­leiro (PTB), fundado em maio de 1980, e foi eleito vice-presidente do seu diretório regional em São Paulo.

Em maio de 1981, alegando que Ivete Var­gas, presidente nacional do PTB, boicotara a divulgação de uma moção por ele apresenta­da e aprovada pelo partido condenando a Lei de Segurança Nacional, desligou-se do PTB. Segundo afirmou, Ivete Vargas teria se descul­pado junto a autoridade do governo pelo en­vio da moção ao presidente Figueiredo. Fili­ou-se então ao Partido Democrático Trabalhis­ta (PDT).

Em 1988, desligou-se do PDT, sendo um dos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), legenda pela qual candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Vereadores de São Paulo, obtendo a 1ª suplência. Exerceu o mandato por poucos meses durante a votação da Constituição municipal, sendo um dos seus signatários. Deixando a Câmara, passou a atuar como corretor de seguros.

Ao longo de sua vida, Marcos Kertzmann foi também presidente de honra da Música a Serviço do Bem, presidente honorário da co­missão de construção da Escola Lubaretch, diretor da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), membro do conselho consultivo do Lar Escola São Francisco e da Sociedade Geográfica Brasileira, membro da Sociedade de Veteranos do Movimento de 1932, membro do conselho deliberativo do Círculo Israelita de São Paulo e do conselho consultivo do Centro de Reabilitação de São Paulo e membro da diretoria do Instituto de Reabilitação para Crianças Excepcionais.

Na área empresarial foi membro do conse­lho fiscal da Confiança Crédito Financeiro e Investimentos e do Banco de Expansão In­dustrial de São Paulo e diretor da agência de propaganda Astro Publicidades e da Sociedade Casablanca de Turismo e Passagens, agência internacional de turismo e viagens.

Casou-se com Araci Adensohn Kertzmann, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: ARQ. DEP. PESQ. JORNAL DO BRASIL; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971); DEP. PESQ. ESTADO DE SÃO PAULO; Estado de São Paulo (5/5/81); INF. BIOG.;  Jornal do Brasil (3/5/81); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados