LACERDA, FELIX DE BARROS CAVALCANTI DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LACERDA, Félix de Barros Cavalcanti de
Nome Completo: LACERDA, FELIX DE BARROS CAVALCANTI DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LACERDA, FÉLIX DE BARROS CAVALCANTI DE

LACERDA, Félix de Barros Cavalcanti de

*diplomata; min. Rel. Ext. 1934.

 

Félix de Barros Cavalcanti de Lacerda nasceu em Londres no dia 31 de agosto de 1880, filho de Adolfo de Barros Cavalcanti de Lacerda, político do Império, presidente das províncias do Amazonas (1863), de Santa Catarina (1865-1868) e de Pernambuco (1878-1880). Seu avô, Manuel Inácio Cavalcanti de Lacerda, barão de Pirapama, foi ministro do Supremo Tribunal de Justiça. Como seu pai se encontrasse à época de seu nascimento em missão oficial na Europa, foi considerado brasileiro por força de dispositivos constitucionais.

Bacharelou-se em filosofia e humanidades pela Universidade do Chile em 1900 e em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro em 1904, ano em que ingressou na carreira diplomática como segundo-secretário. Nessa condição serviu em Londres, na Cidade do México, em Washington e em Bruxelas, na Bélgica. Encarregado de negócios no México entre janeiro de 1908 e outubro de 1910, desempenhou essa mesma função em Bruxelas durante a ocupação alemã, de agosto de 1914 a maio de 1917. Promovido a primeiro-secretário em novembro de 1914, ainda nesse mês assumiu também o cargo de encarregado dos interesses de Portugal na Bélgica, função pela qual responderia até maio de 1916. Em dezembro de 1915 foi promovido a conselheiro.

Promovido a ministro residente em 1918, ainda nesse ano foi incumbido de organizar o novo cerimonial diplomático do Itamarati, bem como a recepção das embaixadas em missão especial. Serviu em seguida na missão brasileira na América Central e, de junho a setembro de 1919, assumiu o cargo de introdutor diplomático do Ministério das Relações Exteriores. Nesse mesmo ano foi designado para acompanhar, durante sua permanência no Brasil, os embaixadores em missão especial Maurice de Bunsen, da Inglaterra, e Lugi Luciani, da Itália. De novembro de 1922 a 1929 exerceu as funções de ministro plenipotenciário e embaixador extraordinário em Viena, na Áustria, atuando a seguir em Lima, no Peru, como embaixador em missão especial para assistir à posse do presidente Augusto Leguía. Em maio de 1931 tornou-se secretário-geral interino do Itamarati e chefe dos serviços políticos e diplomáticos desse ministério, sendo promovido a embaixador em julho de 1933.

Em janeiro do ano seguinte assumiu interinamente o Ministério das Relações Exteriores em substituição ao titular, Afrânio de Melo Franco, demissionário em protesto contra a decisão do presidente Getúlio Vargas de indicar Benedito Valadares para o governo de Minas Gerais em detrimento de seu filho, Virgílio de Melo Franco. Em julho de 1934 deixou o ministério, substituído pelo ministro efetivo José Carlos de Macedo Soares. Entrou em disponibilidade ativa em maio de 1935 e aposentou-se por decreto de 10 de novembro de 1936.

Casou-se com Vera Barbosa Cavalcanti de Lacerda, filha do almirante José Alves Barbosa, ministro da Marinha de 1896 a 1898, durante o governo de Prudente de Morais.

 

 

FONTES: CONSULT. MAGALHÃES, B.; Encic. Mirador; GUIMARÃES, A. Dic.; MIN. REL. EXT. Almanaque (1935 e 1936); PEIXOTO, A. Getúlio.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados