LEAL, ALEXANDRE DE CARVALHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LEAL, Alexandre de Carvalho
Nome Completo: LEAL, ALEXANDRE DE CARVALHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LEAL, ALEXANDRE DE CARVALHO

LEAL, Alexandre de Carvalho

*dep. fed. AM 1935-1937, 1947-1951 e 1955.

 

Alexandre de Carvalho Leal nasceu em Manaus no dia 13 de janeiro de 1890, filho de Domingos Teófilo de Carvalho Leal e de Maria José Fernandes Leal. Seu irmão Deoclides de Carvalho Leal também seguiu a carreira política, exercendo o mandato de deputado federal pelo Amazonas entre 1967 e 1971.

Cursou o primário no Colégio Nossa Senhora da Conceição, em sua cidade natal, realizando os estudos preparatórios no Rio de Janeiro, então Distrito Federal. De volta a Manaus, diplomou-se em odontologia, bacharelando-se também em direito, em 1912, pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais da capital amazonense.

Funcionário do Ministério da Agricultura, lutou em agosto de 1932 ao lado dos legalistas no chamado combate naval de Itaquatiara. Travado no rio Amazonas, em frente à cidade de Itaquatiara (AM), entre as forças do governo e os revoltosos de Óbidos (PA) — que, aderindo ao movimento constitucionalista deflagrado em São Paulo em julho, pretendiam atacar a cidade de Manaus —, o combate terminou com a vitória das tropas legalistas.

Nomeado prefeito municipal de Manaus em janeiro de 1933, exerceu o cargo até outubro do mesmo ano. No pleito de outubro de 1934 candidatou-se a uma vaga de deputado federal por seu estado na legenda do Partido Socialista do Amazonas obtendo apenas uma suplência. Assumiu o mandato em novembro do ano seguinte, tendo apresentado e defendido projetos que lograram, em sua maioria, a sanção presidencial, entre os quais incluíam os da criação do aprendizado agrícola do Amazonas e dos institutos da castanha e da borracha. Com a aproximação do término do mandato do presidente Getúlio Vargas — que, constitucionalmente, não poderia se reeleger —, representou em maio de 1937, ao lado do senador Leopoldo Tavares da Cunha Melo, o Partido Socialista do Amazonas na convenção de lançamento da candidatura de José Américo de Almeida à presidência da República. Efetivando-se o golpe que manteve Vargas no poder e deu início ao Estado Novo em 10 de novembro de 1937, as eleições — marcadas para janeiro de 1938 — terminaram não se realizando. Carvalho Leal permaneceu na Câmara dos Deputados até aquela data, quando foram suprimidos todos os órgãos legislativos do país.

Com a desagregação do Estado Novo, que culminaria com a deposição de Vargas em 29 de outubro de 1945, e a reorganização partidária, colaborou na fundação, em abril desse ano, da União Democrática Nacional (UDN). Participou da primeira reunião do diretório nacional da agremiação para a elaboração do primeiro projeto de estatutos do partido, sendo designado para a comissão de estudos jurídicos. No pleito de dezembro candidatou-se por seu estado, na legenda da UDN, à Assembléia Nacional Constituinte, obtendo apenas uma suplência. Após a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, assumiu o mandato em maio de 1947 e permaneceu na Câmara dos Deputados até janeiro de 1951. No exercício desse mandato integrou a Comissão Permanente de Serviço Público Civil da Câmara dos Deputados e apresentou um projeto — posteriormente transformado em lei — relativo à desobstrução da navegação do rio Amazonas. Reeleito suplente para a Câmara dos Deputados em outubro de 1954 com o apoio da coligação formada pela UDN, o Partido Democrata Cristão (PDC), o Partido Trabalhista Nacional (PTN) e o Partido Social Democrático (PSD), exerceu o mandato de fevereiro a março de 1955.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 29 de abril de 1957.

Era casado com Amélia Rebelo de Albuquerque, com quem teve três filhos.

 

 

FONTES: BITTENCOURT, A. Dic.; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos deputados. Repertório; Diário do Congresso Nacional; NABUCO, C. Vida; ROQUE, C. Grande.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados