Liliam Sá de Paula

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SÁ, Liliam
Nome Completo: Liliam Sá de Paula

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

SÁ, Liliam

*dep. fed. RJ 2011-

           

Liliam Sá de Paula nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 22 de abril de 1960, filha de Reni Sá de Paula e de Euci Rezende de Paula.

Radialista e apresentadora de televisão, ganhou notoriedade com o Programa Criança Rio, que fazia parte da grade de programação da TV Record. Entre os anos de 2001 e 2002 estudou políticas públicas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Em 2000, candidatou-se a uma cadeira na Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo Partido Liberal (PL), sendo eleita. Nesse mandato, foi primeira vice-presidente de 2001 a 2003 e segunda vice-presidente nos dois anos seguintes da Mesa Diretora da Casa. Em 2002, foi candidata a senadora, ficando em quinto lugar no pleito. Em 2004 foi reeleita vereadora e nas eleições federais de 2006 foi candidata a deputada federal, conseguindo a primeira suplência de seu partido. Como vereadora, nesta legislatura, foi presidente da Comissão de Meio Ambiente e primeira vice-presidente da Comissão de Transportes. Em 2008, foi novamente eleita vereadora, agora pelo Partido da República (PR), agremiação fundada em 26 de outubro de 2006 com a união do PL com o Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Prona). Em 2009, foi presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar irregularidades no sistema de fiscalização eletrônica da cidade do Rio de Janeiro.

Em seus anos na Câmara Municipal, além dessas atividades, notabilizou-se por sua atuação em defesa de crianças e adolescentes. Liliam Sá foi responsável pela criação da Comissão Permanente dos Direitos da Criança e do Adolescente e presidente da CPI do Turismo Sexual Infantil no município do Rio de Janeiro. Nessa agenda, destacam-se as leis de sua autoria que cria Casas de Acolhida para crianças vítimas de maus-tratos e abuso sexual, a que obriga hotéis, pensões e similares a manterem ficha de identificação de menores de 18 anos para combater a prostituição infantil, e a que instituiu o dia 22 de novembro como o Dia Municipal de Combate à Violência Infantil.

Em 2010 renunciou ao seu mandato de vereadora, pois foi eleita deputada federal com cerca de 29 mil votos. Em 2011 trocou de partido, saindo do PR e ingressando no Partido Social Democrático (PSD), fundado neste mesmo ano, do qual foi uma dos vice-líderes na Câmara. Como deputada federal, fez parte da Frente Parlamentar Evangélica pela Vida e pela Família e foi presidente das frentes parlamentares em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e da em Defesa das Pensionistas das Forças Armadas e Forças Auxiliares. Participou de diversas comissões da Casa, destacando-se a Comissão de Direitos Humanos e Minorias, da qual foi terceira e segunda vice-presidente; e das comissões especiais de Educação Sem Uso de Castigos Corporais, da qual foi primeira vice-presidente; de Defensorias Públicas da União e do Distrito Federal, da qual foi segunda vice-presidente; de Medidas Sócio-Educativas a Infratores, da qual foi segunda vice-presidente; e de Repressão ao Tráfico de Pessoas, da qual também foi segunda vice-presidente.

Liliam Sá foi também membro da Comissão Externa de Legado da Copa e Jogos Olímpicos para o Rio e Região, além de membro da CPI de Tráfico de Pessoas no Brasil e relatora da CPI de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Esta CPI notabilizou-se por ter indiciado 37 pessoas e apresentado 11 projetos de lei visando combater os crimes sexuais. Ao longo dos trabalhos da CPI, foram  visitados 12 estados e realizadas 63 reuniões na Câmara dos Deputados, sendo 36 diligências, entre audiências públicas e reuniões com governadores, ministros, representantes de empresas privadas e públicas, de organizações não governamentais e da sociedade civil. Ainda no plenário da Câmara, foi uma das mais ferrenhas lideranças contrárias ao chamado “kit gay”, material que seria distribuído em escolas pelo Ministério da Educação em favor de medidas de diversidade sexual e de combate à homofobia, mas acabou vetado pela presidente Dilma Rousseff em 2011.

Em junho de 2013, Liliam Sá saiu do PSD e retornou ao PR e em outubro do mesmo mudou novamente de legenda, ingressando no Partido Republicano da Ordem Social (PROS).

Liliam Sá foi também Delegada da Academia Internacional de Cultura (AIC), membro da Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior (OMEBE) e da Academia Evangélica de Letras do Brasil.

Foi condecorada com a Medalha Imperador D. Pedro II do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal em 2003; com a Medalha do Batalhão de Suez do Exército Brasileiro em 2004; com a Medalha Tiradentes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro em 2004; com o Diploma Amigo do 21º Grupo de Artilharia de Campanha do Grupo Monte Bastione do Exército Brasileiro em 2004; com o Diploma de Colaboradora Emérita do Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Exército Brasileiro em 2005; com a Medalha do Mérito D. João VI da Imprensa Brasileira em 2006; com a Medalha do Mérito da União dos Evangélicos da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (UEPMERJ) em 2007; com a Medalha Sangue de Heróis da Associação Ex-Combatentes do Brasil em 2007; com a Medalha Ordem do Mérito Militar do Comando Militar do Leste em 2007; com o Diploma de Acadêmica Honorária da Academia de Artes, Ciências e Letras de Iguaba Grande (RJ) em 2009; e com o Diploma do Mérito da União de Militares e Evangélicos da Marinha (UMEM) em 2010.

Publicou os livros A Força da Mulher Cristã e Direitos da Mulher, Conhecer para Mudar.  

 

Raimundo Helio Lopes

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 01/10/2014; Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://g1.globo.com/index.html>. Acesso em 01/10/2014; Portal do Jornal O Globo. Disponível em: <http://oglobo.globo.com>. Acesso em 01/10/2014; Portal pessoal de Liliam Sá. Disponível em: <http://www.liliamsa.com>. Acesso em 01/10/2014; Portal Pros na Câmara. Disponível em: <http://prosnacamara.org.br/index.php>. Acesso em 01/10/2014; Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://www.tre-rj.gov.br>. Acesso em 01/10/2014.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados