Luiz Dantas Lima

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DANTAS, Luís
Nome Completo: Luiz Dantas Lima

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DANTAS, LUÍS

DANTAS, Luís


*dep. fed. AL 1991-2003, 2004

 

 


Luiz Dantas Lima nasceu em Batalha (AL) no dia 29 de novembro de 1949, filho de Miguel Rodrigues Lima e de Bernadete Dantas Lima.

Em 1969 ingressou no curso de agronomia da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe), em Recife, e se formou em 1972. Filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 1986. No ano seguinte, no governo de Fernando Collor de Melo (1987-1989), tornou-se secretário da Fazenda de Alagoas. Em 1989, junto com Collor, transferiu-se para o Partido da Reconstrução Nacional (PRN). Mudou novamente de partido no ano seguinte e ingressou no Partido Social Cristão (PSC), em cuja legenda elegeu-se deputado federal no pleito de outubro.

Assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados em fevereiro de 1991, ano em que foi titular da Comissão de Finanças e Tributação e suplente da Comissão de Seguridade Social e Família. No ano seguinte, foi suplente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto e da Comissão de Agricultura e Política Rural.

Na sessão da Câmara dos Deputados de 29 de setembro de 1992, votou a favor da abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo (1990-1992), acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias. Afastado da presidência logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado, sendo substituído pelo seu vice Itamar Franco, que já exercia o cargo interinamente desde 2 de outubro. Ainda em 1992, Luís Dantas foi suplente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional.

Filiou-se em 1993 ao Partido Social Democrático (PSD) e foi suplente da Comissão de Constituição e Justiça e de Redação da Câmara dos Deputados. No ano seguinte, integrou a Comissão de Economia, Indústria e Comércio. Em outubro de 1994, tendo como base eleitoral os municípios de Batalha e Major Isidoro, foi reeleito deputado federal e assumiu seu mandato em fevereiro de 1995. No fim da legislatura, licenciou-se do mandato para ocupar a Secretaria de Indústria e Comércio de Alagoas no governo de Divaldo Suruagy, entre 5 e 31 de janeiro de 1995, e sua vaga na Câmara foi ocupada por Albérico Cordeiro. No início da legislatura seguinte, licenciou-se do mandato para ocupar o cargo de secretário de Estado de Alagoas no período entre 3 de fevereiro de 1995 e 23 de julho de 1997. Sua vaga na Câmara foi ocupada por Olavo Calheiros.

Em novembro de 1997, já de volta à Câmara, Luís Dantas ausentou-se da votação da quebra da estabilidade do servidor público, item da reforma administrativa defendida pelo governo de Fernando Henrique Cardoso.

No pleito de outubro de 1998, conquistou uma vaga de deputado federal. Em novembro, votou a favor do teto de R$1.200 para aposentadorias no setor público e do estabelecimento de idade mínima e tempo de contribuição para o setor privado, itens que definiram a reforma da Previdência.

Iniciou novo mandato em fevereiro de 1999 e ingressou no Partido Social Trabalhista (PST). No ano seguinte, filiou-se ao Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRST) e em 2001 integrou as fileiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Na Câmara, votou a favor da criação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Participou também das comissões de Agricultura e Política Rural, da Amazônia, de Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional, de Economia, Indústria e Comércio, de Finanças e Tributação e de Seguridade Social e Família. Em outubro de 2002, disputou a reeleição e obteve uma suplência. Exerceu o mandato de deputado federal por Alagoas entre março e julho de 2004.

Em 2006, presidia a Cooperativa Agropecuária dos Produtores de Major Isidoro. No ano seguinte, migrou para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi nomeado pelo governador Tetônio Vilela Filho diretor de Operações do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Alagoas.

No ano de 2010, foi eleito deputado estadual tendo recebido cerca de 25 mil votos para a cadeira que passou a ocupar em Janeiro de 2011.

Casou-se com Silvana Suruagy do Amaral Dantas, com quem teve quatro filhos. Sua esposa é prima de Divaldo Suruagy, que foi governador de Alagoas por três vezes (de 1975 a 1997), deputado federal (1979-1983), constituinte (1987-1988) e senador (1987-1994).

 


 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Jornal do Brasil (14/11/1996 e 16/11/1996); Jornal Folha de S. Paulo (29/09/1998); Portal Cepal Alagoas. Disponível em: <http://www.cepal-al.com.br>. Acesso em 15/10/09; Portal do Jornal Gazeta de Alagoas. Disponível em: <http://gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas>. Acesso em 15/10/2009; Portal pessoal do deputado Luiz Dantas. Disponível em: <http://deputadoluizdantas.blogspot.com.br>. Acesso em 05/07/2013. Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br>. Acesso em 05/07/2013.

 

 


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados