MACEDO, MARCIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MACEDO, Márcio
Nome Completo: MACEDO, MARCIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MACEDO, MÁRCIO

MACEDO, Márcio

*dep. fed. RJ 1979-1987.

 

Márcio José Carneiro Macedo nasceu no dia 3 de agosto de 1944 em Três Rios (RJ), filho de Arsonval Silveira Macedo, importante liderança do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) no sul do estado do Rio, e de Rosa Carneiro Macedo.

Em novembro de 1966, com apenas 22 anos, conquistou uma cadeira na Assembléia Legislativa do Estado da Guanabara, na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, sendo empossado no cargo em fevereiro de 1967. Reeleito em novembro de 1970, no ano seguinte formou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade Fluminense de Direito, em Niterói. Como deputado estadual, integrou-se ao grupo de políticos ligados ao governador Antônio de Pádua Chagas Freitas (1971-1975). No pleito de novembro de 1974 elegeu-se deputado estadual pelo novo estado do Rio de Janeiro, resultante da fusão da Guanabara com o antigo estado do Rio. Durante o mandato iniciado em fevereiro de 1975, liderou a bancada do MDB.

Em novembro de 1978, candidatou-se à Câmara dos Deputados na legenda emedebista, sendo eleito com os votos de seu reduto eleitoral em Três Rios e de outros municípios do sul fluminense. Assumindo sua cadeira em fevereiro de 1979, tornou-se membro da Comissão de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas da Câmara. Ainda no mesmo ano, manifestou-se contra a dissolução do MDB em partidos menores, declarando considerá-lo o único canal de oposição capaz de apressar o reencontro do país com a democracia.

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reestruturação partidária, filiou-se, no ano seguinte, ao Partido Popular (PP), que tinha em Chagas Freitas, então governador do estado, sua liderança mais expressiva no Rio de Janeiro. Durante sua passagem pelo PP, Macedo presidiu a executiva regional provisória do partido. Com a incorporação do PP ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), sucessor do MDB, em fevereiro de 1982, passou a integrar a legenda peemedebista. Nesse ano, fez parte da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e foi suplente da Comissão de Relações Exteriores. Reeleito pelo PMDB em novembro de 1982, assumiu seu segundo mandato em fevereiro do ano seguinte, tornando-se membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara.

Na sessão da Câmara dos Deputados de 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que restabelecia as eleições diretas para presidente da República em novembro seguinte. Como a emenda não obteve a votação necessária para ser enviada ao Senado, decidiu apoiar, no Colégio Eleitoral de 15 de janeiro de 1985, a candidatura presidencial do ex-governador de Minas Gerais Tancredo Neves, eleito pela coligação oposicionista Aliança Democrática, formada pelo PMDB e pela dissidência do Partido Democrático Social (PDS) reunida na Frente Liberal. Tancredo, no entanto, não chegou a assumir o cargo em 15 de março de 1985, data marcada para sua posse. Acometido por uma diverticulite, veio a falecer em 21 de abril seguinte, sendo substituído na presidência por seu vice José Sarney.

No pleito de novembro de 1986, Márcio Macedo candidatou-se à reeleição, mas não obteve êxito. Deixou o mandato federal em janeiro do ano seguinte, ao fim da legislatura. Em fevereiro, foi indicado para a presidência da Companhia Docas do Rio de Janeiro. Ocupou esse cargo até o início de 1990, assumindo alguns meses depois o escritório de representação do governo do estado junto ao Executivo federal, em Brasília, função que exerceu até o final da gestão do governador Wellington Moreira Franco, em março de 1991.

Retirando-se então da vida pública, passou a se dedicar à advocacia.

Casou-se com Janete dos Santos Macedo, com quem teve três filhos.

Publicou Palavras... que constroem.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (21/2 e 24/10/79, 31/8 e 27/11/80 e 17/1/87).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados