MANUEL JOSE MACHADO BARBUDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARBUDA, Manuel
Nome Completo: MANUEL JOSE MACHADO BARBUDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARBUDA, MANUEL

BARBUDA, Manuel

*magistrado; dep. fed. AM 1955-1959,1963 e 1964-1967.

 

Manuel José Machado Barbuda nasceu em Manaus no dia 25 de dezembro de 1909, filho de Armando Cruz Barbuda e de Teresa Machado Barbuda.

Cursou a Escola Pública de Manaus e o Ginásio Amazonense Dom Pedro II, ingressando em seguida na Faculdade de Direito do Amazonas, em Manaus, pela qual se diplomou em 23 de dezembro de 1930.

Sempre no Amazonas, foi prefeito municipal de Itacoatiara em 1931, juiz preparador de Benjamim Constant e juiz de direito de Manacapuru em 1934. Promotor público interino em Manaus de 1935 a 1937, a partir de 1936 passou a lecionar direito judiciário penal na Faculdade de Direito do Amazonas. Em 1938 passou a lecionar direito penal na mesma faculdade, da qual se tornou diretor em 1942.

Presidente da Comissão do Salário Mínimo do Amazonas desde 1939, foi ainda diretor-responsável do jornal O Momento e desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas. Membro da comissão de elaboração do Regimento de Custos e do Conselho Penitenciário do Estado do Amazonas, depois da reformulação partidária de 1945 tornou-se secretário do diretório estadual amazonense do Partido Social Democrático (PSD).

No pleito de outubro de 1954, elegeu-se deputado federal pelo Amazonas na coligação denominada Pela Democracia Cristã, formada pelo PSD, o Partido Trabalhista Nacional (PTN), a União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Democrata Cristão (PDC). Exerceu o mandato de março de 1955 a janeiro de 1959. Ainda em 1959, assumiu o cargo de secretário do Interior e Justiça do Amazonas, no governo de Gilberto Mestrinho.

Em outubro de 1962, elegeu-se suplente de deputado federal pelo Amazonas na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Exerceu o mandato por pouco tempo a partir de 3 de fevereiro de 1963, retornando à Câmara de 10 de julho a 3 de dezembro do mesmo ano. Após o movimento político-militar de 31 de março de 1964 e a cassação de mandatos parlamentares pelo Ato Institucional nº 1, retornou ao Congresso em 11 de abril de 1964, permanecendo no exercício do mandato até o final da legislatura (31/1/1967). Nesse ínterim, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar, em cuja legenda candidatou-se à reeleição no pleito de novembro de 1966. Em novembro de 1970, disputou uma vaga no Senado, pelo MDB, mas não conseguiu eleger-se.

Afastado do cenário político desde então, dedicou-se ao exercício da advocacia e à prestação de consultoria a pequenas empresas.

Membro da Sociedade de Criminologia do Amazonas, do Instituto de Direito Social e da Associação Amazonense de Imprensa, Manuel Barbuda foi membro e primeiro-secretário da diretoria da seção amazonense da Ordem dos Advogados do Brasil, tendo pertencido ainda ao conselho federal da OAB.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 3 de dezembro de 1983.

Era casado com Inês Franco de Sá Barbuda, com quem teve quatro filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Anais; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CORTÉS, C. Homens; COUTINHO, A. Brasil; Grande encic. Delta; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (3 e 6).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados