MASCARENHAS, AJALMAR VIEIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MASCARENHAS, Ajalmar Vieira
Nome Completo: MASCARENHAS, AJALMAR VIEIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MASCARENHAS, AJALMAR VIEIRA

MASCARENHAS, Ajalmar Vieira

*militar; comte. IV ZA 1942; comte. II ZA 1945-1946; ch. Emaer 1948-1951 e 1953-1954; comte. ESG 1955-1956; ch. Emaer 1956-1957 e 1962.

Ajalmar Vieira Mascarenhas nasceu em Anádia (AL) no dia 13 de agosto de 1897, filho de Manuel Cesário Mascarenhas e de Lourença Vieira Mascarenhas.

Estudou no Colégio Diocesano de Alagoas e no Liceu Alagoano.

Sentou praça em agosto de 1915, ingressando na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, de onde saiu aspirante da arma de artilharia em dezembro de 1919. Promovido a segundo-tenente em abril de 1920, cursou a Escola de Aviação Militar no Rio de Janeiro, integrando no ano seguinte a primeira turma de observadores aéreos. Foi promovido a primeiro-tenente em maio de 1921, e, por ocasião da Revolta de 5 de Julho de 1922, foi preso, juntamente com grande número de oficiais acusados de participar da insurreição.

Promovido a capitão em março de 1926, foi transferido em novembro do ano seguinte para a arma de aviação do Exército e em junho de 1928 foi promovido a major. Após a Revolução de 1930, participou da repressão à Revolução Constitucionalista de São Paulo, irrompida em julho de 1932, sendo nomeado em setembro comandante das unidades aéreas do Destacamento do Exército do Sul. O conflito terminou em outubro do mesmo ano com a vitória das forças legalistas.

Promovido a tenente-coronel em junho de 1933, nessa mesma data tornou-se comandante da Escola de Aviação Militar, função que exerceu até abril do ano seguinte. Voltou a comandar essa unidade de março de 1938 a julho do ano seguinte e, em janeiro de 1941, foi transferido para o recém-criado Ministério da Aeronáutica, sendo promovido a coronel-aviador em dezembro desse mesmo ano.

Empossado em fevereiro de 1942 no comando da então IV Zona Aérea (IV ZA), sediada em Porto Alegre, deixou o cargo em maio seguinte para assumir, nesse mesmo mês, a Diretoria de Pessoal da Aeronáutica. Em março de 1944 foi promovido a brigadeiro-do-ar, integrando em dezembro do mesmo ano a comitiva do ministro da Aeronáutica, Joaquim Pedro Salgado Filho, em visita ao front italiano durante a Segunda Guerra Mundial. Em janeiro de 1945 foi exonerado da Diretoria de Pessoal e nomeado comandante da II ZA, com sede em Recife, onde permaneceu até agosto de 1946.

Em setembro seguinte passou a integrar o Estado-Maior Geral, órgão precursor do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA), na condição de subchefe da Aeronáutica, e um mês depois foi promovido a major-brigadeiro-do-ar. Deixando a subchefia da Aeronáutica em março de 1947, nessa mesma data tornou-se chefe da Inspetoria do Estado-Maior da Aeronáutica, função que exerceu até janeiro de 1948. Ainda em 1948 tornou-se novamente diretor-geral de Pessoal da Aeronáutica, sendo nomeado em agosto para substituir o major-brigadeiro Gervásio Duncan de Lima Rodrigues como chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer). Ocupou esse cargo até a substituição do presidente Eurico Dutra por Getúlio Vargas em janeiro de 1951, quando foi por sua vez substituído pelo major-brigadeiro Vasco Alves Seco. Em janeiro de 1953 voltou a exercer essa função, substituindo o brigadeiro Alves Seco. Deixou o Emaer em agosto do ano seguinte, pouco antes da morte de Vargas (24/8/1954) e em meio à grave crise que envolveu a Aeronáutica em decorrência do Atentado da Toneleros (5/8/1954), no qual perdeu a vida o major-aviador Rubens Vaz. A participação de membros da guarda pessoal de Vargas no episódio provocou forte reação na oficialidade da Força Aérea Brasileira (FAB), levando o ministro Nero Moura a demitir-se. O brigadeiro Ivan Carpenter Ferreira assumiu o Emaer durante a fase crítica que culminou com o suicídio do presidente, transferindo então o cargo, já no governo de João Café Filho, ao brigadeiro Gervásio Duncan.

Em 1955 Ajalmar Vieira Mascarenhas presidiu, na condição de chefe da delegação brasileira, a Comissão Militar Mista Brasil-Estados Unidos. Em dezembro desse ano, foi nomeado para suceder ao almirante-de-esquadra Ernesto de Araújo no comando da Escola Superior de Guerra (ESG). Respondeu pelo cargo até abril de 1956, quando o transferiu ao marechal-do-ar Vasco Alves Seco. Nessa data, no início do governo de Juscelino Kubitschek, reassumiu a chefia do Emaer em substituição ao major-brigadeiro Armando Araribóia, a quem voltou a transferir o cargo em fevereiro de 1957. Ainda nesse ano atuou como adido aeronáutico à embaixada brasileira em Washington. Promovido a tenente-brigadeiro em dezembro do ano seguinte, voltou a chefiar o Emaer entre julho de 1962 — substituindo o tenente-brigadeiro Armando Araribóia, já durante o governo de João Goulart — e dezembro do mesmo ano. Seu substituto foi o tenente-brigadeiro Francisco de Assis Correia de Melo, empossado no cargo em janeiro de 1963. Ainda em dezembro de 1962 recebeu a patente de marechal-do-ar.

Fez também os cursos de pilotagem, aperfeiçoamento de oficiais, estado-maior, superior de guerra, artilharia e aperfeiçoamento de artilharia, tendo exercido ainda as funções de diretor-geral de Ensino da Aeronáutica. Pertenceu à Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).

Era casado com Leonor Rebelo Mascarenhas, de quem teve três filhos.

FONTES: BRAYNER, F. Verdade; CORRESP. CENTRO DOC. HIST. AER.; CORRESP. II COMDO. AÉREO REGIONAL; CORRESP. V COMDO. AÉREO REGIONAL; CORRESP. ESC. SUP. GUERRA; COUTINHO, A. Brasil; ENTREV. PEIXOTO, A.; FARIAS, O. Meio; MIN. AER. Almanaque (1963); SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados