Max Hoertel

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: HOERTEL, Max
Nome Completo: Max Hoertel

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

HOERTEL, Max

*militar gen. Ex.; min. STM

 

Max Hoertel nasceu em Rio de Janeiro (RJ) no dia 04/06/1937, filho de Augusto Hoertel e de Antonietta Hoertel.

Assentou praça no Exército em 03/07/1954, com 17 anos de idade. Foi promovido a aspirante-a-oficial em 19/12/1958, ano em que concluiu o curso superior na Academia Militar das Agulhas Negras, formando-se no curso da Arma de Artilharia. Cursou ainda uma especialização na carreira militar, o Curso de Manutenção de Material Bélico, da Escola de Material Bélico.

Promoveu-se a 2º tenente por antiguidade em 25/08/1959, a 1º tenente por antiguidade em 25/08/1961, e a capitão por antiguidade em 25/12/1965. Até então ocupou o posto de Oficial de Estado-Maior no Regimento Escola de Artilharia, de Comandante de Bateria no 3º Grupo de Artilharia Antiaérea, e de Oficial de Estado-Maior no 16º Grupo de Artilharia de Campanha/Autopropulsado.

Em 1968 participou do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, o que lhe permitiu o acesso ao posto de Oficial Superior. Este curso tinha correspondência ao de mestrado.

Entre os anos de 1972 e 1974 fez um curso de doutorado na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. Tratou-se do Curso de Altos Estudos Militares, requisito indispensável para concorrer ao generalato e integrar Estados-Maiores de grandes unidades e grandes comandos da Força Terrestre.

Foi promovido a major por merecimento em 25/12/1974, a tenente-coronel por merecimento em 30/04/1980, e a coronel por merecimento em 31/08/1984. Nessa condição de oficial superior, foi adjunto da 6ª Divisão de Exército, instrutor na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, adjunto da Missão Militar Brasileira de Instrução no Paraguai, assessor do gabinete do ministro do Exército, adjunto no Departamento de Material Bélico.

Chegou a general de brigada de combate em 31/07/1990, a general de divisão de combate em 31/03/1995, e a general de exército em 25/11/1999. Comandou, como oficial superior, o 8º Batalhão Logístico. Como oficial-general foi Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército, Diretor do Centro de Avaliação do Exército, Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Sul, Comandante da Academia Militar das Agulhas Negras, Diretor de Formação e Aperfeiçoamento, Chefe do Departamento de Material Bélico, Chefe do Departamento Logístico, e Comandante Militar no Sul.

Em 2002, o presidente da República Fernando Henrique Cardoso indicou o general Max Hoertel para o cargo de ministro do Superior Tribunal Militar, para preencher a vaga do ministro general José Enaldo Rodrigues de Siqueira, que se aposentara. Em 17/04/2002 a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania aprovou unanimemente o parecer do senador Maguito Vilela (PMDB-GO), relator para a mensagem presidencial de indicação.

A sabatina durou 30 minutos. Hoertel declarou a necessidade de se fortalecerem as instituições para aperfeiçoar a democracia. Questionado sobre questões de fronteiras nacionais, disse que era questão de política externa, com limitações de competências para os militares. Instado a falar sobre o aperfeiçoamento do STM, disse desconhecer o texto sobre a reforma do Judiciário. Sobre o uso da concessão de rádio, aprovada pelo Senado, para que o Exército se comunicasse com a população brasileira, afirmou: “É muito importante que a sociedade saiba o que estamos fazendo.”

Assumiu em 2002 o lugar de ministro do STM, sob o número 312. Foi nomeado em 29/05/2002 e empossado em 07/06/2002. Exerceu a Presidência do STM de 01/06/2005 a 16/03/2007. Aposentou-se em 05/06/2007, aos 70 anos de idade.

Casou-se com Lucila Callegari Hoertel, com quem teve o filho Marcelo Callegari Hoertel.

Recebeu as seguintes condecorações nacionais: Ordem do Mérito Naval – Grande Oficial; Ordem do Mérito Militar – Grande Oficial; Ordem do Mérito Militar – Grã-Cruz; Ordem do Mérito Aeronáutico – Grande Oficial; Medalha Militar de Ouro com Passador de Platina; Medalha do Pacificador; Medalha Marechal Trompowsky; Medalha Mérito Santos Dumont; Medalha Mérito Tamandaré; Medalha Marechal Hermes de Bronze com Uma Coroa; Ordem do Mérito Forças Armadas – Grande Oficial; Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes; e Medalha do Mérito Farroupilha. Obteve ainda condecorações estrangeiras: Ordem do Mérito Militar Oficial – Paraguai; Medalha Honorífica – Artilharia – Paraguai; e Ordem dos Serviços Distintos do Mérito Militar Grã-Cruz – Argentina.

 

Leonardo S. Sasada Sato

 

FONTES: Portal Senado Federal, 17 abr. 2002. Disponível em http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2002/04/17/ccj-aprova-indicacao-de-max-hoertel-para-o-stm, acesso em 23 set. 2014. Senado Federal, Mensagem nº 106, de 2002. Currículo. Disponível em http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getPDF.asp?t=102044&tp=1, acesso em 23 set. 2014. ALERGS, 28 fev. 2002. Disponível em http://www2.al.rs.gov.br/noticias/ExibeNoticia/tabid/5374/IdMateria/22160/language/pt-BR/Default.aspx, acesso em 23 set. 2014. Portal STM, Max Hoertel. Disponível em http://www.stm.jus.br/institucional/ministros-da-corte-desde-1808/max-hoertel?b_start=0&type=0&SearchableText=None&ajax_load=0.586326429458, acesso em 23 set. 2014.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados