MELO, Fernando

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MELO, Fernando
Nome Completo: MELO, Fernando

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
COSTA, Fernando de Melo

MELO, Fernando

* dep. fed. AC 2007-2011.

               

Fernando Melo da Costa nasceu em Cruzeiro do Sul (AC), em 1958, filho de Orlando Sabino da Costa e Cely Melo da Costa.

Assumiu a Secretaria de Administração na gestão do prefeito Jorge Viana (PT) em Rio Branco, entre os anos de 1993 a 1996. Em 1999 assumiu o cargo de diretor do departamento estadual de trânsito quando Jorge Viana assumiu o governo do Acre (1999-2003). Entre os anos de 2001 e 2002, foi secretário de Justiça e Segurança Pública do estado.

No ano de 2002 foi eleito deputado estadual, mas logo no primeiro ano de mandato, em 2003, licenciou-se para reassumir a secretaria de Justiça e Segurança Pública, onde ficou até 2005.

Elegeu-se deputado federal pelo Acre, na legenda do Partido dos Trabalhadores (PT) em 2006, com 18.385 votos. Iniciando o mandato em fevereiro de 2007, tornou-se, nesta legislatura, membro titular das comissões permanentes da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional,  Defesa do Consumidor, Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, Viação de Transporte, e de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. Atuou também na comissão especial relativa ao Projeto de Emenda Constitucional que visava regulamentar as Polícias Penitenciárias. Tornou-se membro da Frente Parlamentar Ambientalista, , da Frente Parlamentar do Cooperativismo e do Café e da Câmara Setorial da Borracha.

Ingressou no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, substituindo a deputada Iriny Lopes (PT-ES). Em Outubro de 2009, assumiu a coordenação da Bancada Federal do Acre.

Concorreu a mais um mandato de deputado nas eleições de Outubro de 2010, mas os pouco mais de 11 mil votos que recebeu foram insuficientes. Sem êxito na tentativa de reeleição, deixou a Câmara em Janeiro de 2011 e, meses depois, desfiliou-se do PT e migrou para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Pela nova legenda, foi candidato à prefeitura de Rio Branco, capital acreana, no pleito municipal de Outubro de 2012, em coligação com PSD e PSL. A chapa, denominada “Muda Rio Branco”, porém, recebeu apenas 8.333 votos, ficando com a terceira colocação no primeiro turno. A disputa ficou entre Tião Bocalom, do PSDB, e Marcus Alexandre, do PT, que foi eleito no segundo turno, com 50,77% dos votos válidos.

Em julho de 2013 desfiliou-se do PMDB e no mês seguinte filiou-se ao recém-fundado Partido Republicano da Ordem Social (PROS).

Formado em economia e direito na cidade de Rio Branco, foi por treze anos funcionário de carreira do Banco do Brasil. Foi também presidente da Fundação Ulysses Guimarães no estado do Acre.

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara. gov.br>. Acesso em 10/01/2014; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 10/01/2014. 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados