MENTOR, Jose

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MENTOR, Jose
Nome Completo: MENTOR, Jose

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SOBRENOME, Nome

MENTOR, José

* dep. fed. SP 2003-

 

José Mentor Guilherme de Melo Neto nasceu em Santa Isabel (SP) no dia 30 de setembro de 1948, filho de Assis Mentor Couto Melo e de Encarnação Mentor Couto Melo.

Formou-se em direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) em 1971. Ainda estudante foi coordenador do Centro Acadêmico 22 de Agosto em 1968-1969 e conselheiro da União Estadual dos Estudantes (UEE) de São Paulo em 1968. Participou nesse ano do congresso da União Nacional dos Estudantes(UNE) em Ibiúna (SP) e foi preso.

Iniciou sua carreira de advogado assessorando juridicamente alguns movimentos sociais. Filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1977, integrou a Comissão Arquidiocesana dos Direitos Humanos de São Paulo e foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) na década de 1980.

Elegeu-se deputado estadual constituinte em 1988 e foi líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa paulista em 1990 e 1991. Exerceu três mandatos consecutivos como vereador na cidade de São Paulo: de 1993 a 1996, de 1997 a 2000 e de 2001 a 2003. No primeiro, foi líder do PT em 1994 e 1995 e centrou sua atuação no apoio a movimentos de moradia e na fiscalização das contas do governo de Paulo Maluf. Participou do fórum de parlamentares para o Habitat II, da Organização das Nações Unidas (ONU), voltado para a discussão dos problemas urbanos. No segundo mandato, foi líder do governo da então prefeita Marta Suplicy, do PT, em 2001 e 2002.

Em 2002, elegeu-se deputado federal por São Paulo na legenda do PT. Licenciou-se da Câmara Municipal e assumiu o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 2003. Foi vice-líder do partido em 2005 e 2006, e durante a legislatura foi ainda foi vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, membro da Comissão de Constituição e Justiça e de Redação, da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e da Comissão de Legislação Participativa, e suplente da Comissão de Finanças e Tributação. Foi também relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Banestado, criada em junho de 2003 para apurar as responsabilidades sobre a evasão de divisas do Brasil para paraísos fiscais entre 1996 e 2002. Em agosto de 2005, foi acusado por deputados da oposição de estar sendo manipulado pelo então ministro da Casa Civil José Dirceu, também filiado ao PT, para retirar nomes de aliados do governo do relatório final da CPI. Em 2006 seu nome foi mencionado nas CPIs dos Correios e do Mensalão como beneficiário de recursos das empresas de Marcos Valério Fernandes de Sousa, pivô do escândalo de corrupção que envolvia o pagamento mensal a deputados para votarem a favor de projetos de interesse Executivo. Alegou que a soma de dinheiro recebida por intermédio de seu escritório de advocacia representava o pagamento por serviços prestados à empresa 2S Participações, devidamente declarado ao Imposto de Renda. Em abril, por falta de quorum na votação de sua cassação, recomendada pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, foi absolvido pelo plenário da Câmara em processo de quebra de decoro parlamentar.

Ainda em 2006, reelegeu-se para um segundo mandato de deputado federal por São Paulo, na legenda do PT. Iniciada a legislatura, integrou a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, o Grupo de Consolidação das Leis e a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

 

Mariana Joffily

FONTES:

Site do biografado <www.josementor.com.br>, acesso em jul. 2009.

Fundação Seade, <www.seade.gov.br>, acesso em jul. 2009.

Câmara dos Deputados, <www.camara.gov.br>, acesso em jul. 2009.

Folha Online especial 2006 eleições, <www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-2222.shtml>, acesso em jul. 2009.

Wikipédia, “CPI do Banestado”, <http://pt.wikipedia.org/wiki/CPI_do_Banestado>, acesso em jul. 2009.

JusBrasil Notícias, 19/04/2006, <http://www.jusbrasil.com.br/noticias/138363/mais-pizza-camara-absolve-jose-mentor>, acesso em jul. 2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados