MILTON BLANCO DE ABRUNHOSA TRINDADE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TRINDADE, Milton
Nome Completo: MILTON BLANCO DE ABRUNHOSA TRINDADE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TRINDADE, MÍLTON

TRINDADE, Mílton

*sen. PA 1967-1974.

 

Mílton Blanco de Abrunhosa Trindade nasceu em Belém no dia 24 de maio de 1920, filho de Almerindo Cipriano Trindade, professor, e de Rosália Blanco Trindade.

Estudou em sua cidade natal, fazendo o curso primário no Grupo Escolar D. Pedro I e o secundário no Ginásio Pais de Carvalho e na Escola Técnica de Comércio, da Associação Comercial do Pará, por onde se formou técnico em contabilidade em 1942.

Trabalhou como oficial administrativo da Comissão da Marinha Mercante e do Serviço de Navegação e Administração do Porto do Pará (SNAPP), exercendo a função de escriturário de contabilidade. Em 1947 tornou-se gerente dos Diários Associados da Zona Norte. Lecionou até 1957 na Escola Técnica de Comércio, a qual dirigiria até 1964.

Em 1962 foi convidado por Francisco de Assis Chateaubriand para exercer a superintendência dos Diários e Emissoras Associados do Pará — integrados pela Rádio Marajoara, o jornal A Província do Pará, e a televisão Marajoara — que fizeram campanha jornalística contra o governo de João Goulart, deposto pelo movimento político-militar de março de 1964. Ainda neste período, em 1963 tornou-se diretor-geral daquele jornal.

Em novembro de 1966 elegeu-se suplente do senador Jarbas Passarinho, pelo Pará, na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar. Assumiu a cadeira em fevereiro do ano seguinte, quando o titular passou a ministro do Trabalho e Previdência Social do governo de Artur da Costa e Silva (1967-1969), e em seguida o da Educação do governo Emílio Garrastazu Médici (1969-1974). Nesse período, Mílton Trindade integrou, a partir de março de 1968, as comissões de Agricultura, dos Estados para Alienação e Concessão de Terras Públicas e Povoamento, de Valorização da Amazônia e de Indústria e Comércio, exercendo a vice-presidência destas duas últimas a partir de abril de 1970. Em abril de 1971, tornou-se titular das comissões de Educação e Cultura e de Minas e Energia, e suplente das comissões de Finanças, de Segurança Nacional, de Legislação Social e de Saúde.

Deixou o Senado em abril de 1974 e, em novembro desse ano, voltou a se eleger suplente do senador Jarbas Passarinho. Contudo, nesta legislatura não chegou a ocupar o posto de senador, já que Passarinho permaneceu no exercício do mandato até seu término, em janeiro de 1983.

Paralelamente a estas atividades no Senado, continuou exercendo o cargo de diretor geral do jornal A Província do Pará, função que desempenharia até seu falecimento.

Faleceu em Belém no dia 12 de janeiro de 1986.    

Era casado com Elna Andersen Trindade, com quem teve oito filhos.

 

FONTES: INF. FAM; NÉRI, S. 16; Perfil (1972); ROQUE, C. Grande; SENADO. Dados; SENADO. Endereços; SENADO. Relação; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados