MOREIRA, ANTONIO JOAQUIM SOARES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOREIRA, Antônio Joaquim Soares
Nome Completo: MOREIRA, ANTONIO JOAQUIM SOARES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MARQUES, Antônio Ferreira

MOREIRA, Antônio Joaquim Soares

* militar, ch. EMFA 1990-1993.

 

Antônio Joaquim Soares Moreira nasceu em Itu (SP) no dia 4 de março de 1928, filho de Joaquim Fernandes e de Antonina de Carvalho Soares.

Em março de 1945 entrou para a Escola Preparatória de São Paulo, onde esteve até fevereiro de 1946, quando seguiu para a Escola Militar, em Resende (RJ). Em dezembro foi declarado aspirante a oficial da arma de artilharia, estagiando em seguida na Escola de Instrução Especializada (EIE). Em julho de 1949, quando servia no 2ª Regimento de Obuses 105 (Regimento Deodoro) em Itu, foi promovido a segundo-tenente. Em maio de 1950 foi destacado para o 1º/4º Grupo de Artilharia da Costa Motorizado, em Salvador, e em janeiro de 1951, para o Regimento Obuses da Costa/Forte de Duque de Caxias (DF). Promovido a primeiro-tenente em julho de 1951, entre fevereiro e outubro de 1952 fez o curso de Artilharia da Costa (EAC).

Após receber a patente de capitão em janeiro de 1954,  tornou-se comandante da 8ª Seção do Regimento Deodoro e em seguida, de novembro de 1956 a março de 1958, do Batalhão de Caçadores III, quando iniciou o curso da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EAO), concluído em dezembro. Serviu na  Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende, até janeiro de 1961 quando ingressou no curso da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME). Em agosto passou a major. Em dezembro de 1963, concluiu o curso na ECEME, sendo em seguida designado para estagiário. Em junho de 1964, tornou-se instrutor da Seção de Artilharia e, no mês seguinte foi nomeado para integrar a Seção de concurso de admissão a ECEME.

Participou do movimento político-militar de 31 de março de 1964, que depós o presidente João Goulart (1961-1964), obedecendo às ordens do general Jurandir de Bizarria Mamede.  Deixou a ECEME em outubro de 1966, passando a servir no Serviço Nacional de Informações (SNI). Em dezembro foi promovido a tenente-coronel e em junho de 1970 assumiu a chefia da Sub-Seção de Busca Explorativa do órgão. Ainda nesse mês foi indicado para servir no SNI de Brasília (DF). Em agosto de 1973, recebeu a patente de coronel.

Em fevereiro de 1974, foi nomeado comandante da Escola de Artilharia de Costa e Anti-Aérea (EsA. Cos. Aaé), exercendo essas atribuições até agosto de 1976, quando se  matriculou no estágio para adidos militares da Escola do Serviço Nacional de Informações (EsNI). Em outubro, com o fim do estágio, foi designado  adido militar junto à embaixada do Brasil no Irã, cargo quem ocupou até outubro de 1978 . Em  maio de 1979 voltou ao SNI, com a função de ordenador de despesas da Unidade Administrativa da Agência Regional de São Paulo. Nesse mesmo mês matriculou-se no curso de atualização dos diplomados pela ECEME.

Vice-diretor da EsNI  a partir de novembro de 1979, em fevereiro de 1980 tornou-se ordenador das despesas da escola. General-de-brigada em abril de 1981, em maio foi nomeado diretor da EsNI, cargo que ocupou até março de 1985, assumindo em seguida o comando da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, em Florianópolis. Em março de 1986, foi nomeado comandante da 1ª Região Militar, no Rio de Janeiro, e no mês seguinte promovido a general-de-divisão. Em novembro de 1988, assumiu a Diretoria de Motomecanização (DF). Vice-chefe do Departamento de Material Bélico (DBM) entre novembro do ano seguinte e novembro de 1990, neste último mês foi promovido a general-de-exército.

Designado membro efetivo da Comissão Interministerial para Preparação da Conferência das Nações Unidas (CIMA) sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento em janeiro de 1991

Em março de 1993 foi desligado da chefia do EMFA, para tomar posse no cargo de ministro do Supremo Tribunal Militar (STM), em substituição ao general-de-exército Jorge Frederico Machado Sant’Ana. Durante o desempenho das funções de ministro, participou das comissões de elaboração do futuro código de processo penal militar e supervisão da estrutura do plano diretor de informática do STM e regimento interno e normas e cerimonial interno. Em 1998 deixou de exercer as funções de ministro do STM.

Casou-se com Miriam Levi Cardoso Moreira, com quem teve três filhos.

 

 

FONTES: ARQ. DIR. DOC. STM.; CURRIC. BIOG.; Folha de São Paulo (25/4/85); Globo (30/7/84); Jornal do Brasil (1/11/78, 1/2/83, 25/4/85); MIN. EXEC. Almanaque (1984).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados